14 junho 2010

NAVEGAR

Normalmente, a precaução aconselhava-nos a usar um pouco mais de distancia, entre nós; Mas como se tratava de uma viagem de certa forma atípica, deu para tudo; A entreajuda esteve sempre presente, mesmo tratando-se dos nossos congéneres "gallegos"


A vaga larga, sempre presente, deu pano para mangas durante todos os 19 dias. Se dias houve em que, pelo nosso rumo, o incómodo era minorado, outros houve em que as coisas mais simples deste mundo., tais como comer e comer, eram muito dificultadas. Pobre cozinheiro, que com 2 mãos fazia autênticos milagres.


Depois de alcançado, é vê-lo pela popa


E a vida lá continuava, no ramerame do costume; Quartos, baixo e mais quartos. De inicio de 6 horas, até se ter um terceiro homem para o leme.



Sim, que não havia piloto automático. Raramente existe, nos rebocadores.
Mas isso fica para outra núpcias.

1 comentário:

barconauta disse...

Pelos vistos vagas não faltaram! Bonitas fotos da viagem. Apareceu outro rebocador além destes dois?
Não sabia que os rebocadores não tinham piloto automático...quartos e mais quartos, lá está.