27 setembro 2018

DETECTORES DE METAIS PODEM SER UM HOBBY INTERESSANTE???

E a Resposta é não. Purinha e dura.

Lei n.º 121/99
de 20 de Agosto:
Artigo 1.º
Utilização de detectores de metais
1 - É proibida a utilização de detectores de metais na pesquisa de objectos e artefactos relevantes para a história, para a arte, para a numismática ou para a arqueologia.

2 - É igualmente proibida a utilização e o transporte de detectores de metais não licenciados para efeito de pesquisa em monumentos e sítios arqueológicos classificados ou em vias de classificação, nos termos da Lei n.º 13/85, de 6 de Julho.
O resto é a treta do costume.
Panorama da utilização no mundo que conhecemos está abaixo. Note-se que os países de genese  repressiva, como china, e ex: URSS, fazem como nós. Ou nós fazemos como eles..... Ainda ha complexos


Australia. Any metal detecting is allowed. Prospecting for gold nuggets, as well as beach search, are favourites among locals. There are not so many archaeological finds in Australia – much less that in Europe and the U.S.
Austria. The use of metal detectors in archaeological contexts requires a permission issued by the Austrian Federal Monument Authority.
Belgium. Private individuals aren’t allowed to look for archaeological artifacts. Beach search is permitted.
Canary islands (Tenerife). Metal detecting is allowed without any restrictions
Cuba. Any metal detecting is forbidden. The very possession of metal detectors is equated with the possession of weapons. ( a nossa herança????)
Denmark. Metal detecting is allowed. Very large and valuable items found must be given to the state.
France. Searching for archaeological finds requires permission. Beach metal detecting is allowed.
Germany. Metal detecting is allowed but requires a license.
Ireland. Historic artifacts can be looked for only after getting permission and approval from landowners. Beach metal detecting is allowed (so what are the beaches in Ireland?).
taly. All things of archeological interest, in and out of the ground, are the property of the state. Metal detecting by private individuals is allowed in some regions. A finder of valuable objects receives a reward. There are regions where the use of metal detectors is prohibited – e.g., Valle d’Aosta, Calabria, Lazio, Tuscany, Sicily.
Portugal. Metal detecting is officially prohibited. But there are treasure hunting clubs in Lagoa and Portimao districts that obtain permission to use metal detectors. Plus, it’s very rare that beach search is allowed by special permission from authorities (for locals only).
Spain. The use of detection devices for the purpose of searching for archeological finds is not allowed unless you get permission. However, there is a fair amount of illegal treasure hunters in Spain. Several years ago there used to be even private treasure hunts for foreign tourists.
Sweden. Metal detecting on privately owned land is allowed. Beach search is permitted, too.
Switzerland. Metal detecting is officially not forbidden. But each canton, or even a district, has its own rules. Thus, it may be forbidden to metal detect only on archeological sites. However, there are examples when it’s allowed to search even there. On the other hand, in some areas, collecting scrap metal does require permission from the district authorities. Moreover, you will need double permission at that: a metal detecting license plus the landowner’s permit.
UK (England). Archaeological finds can be looked for only after getting permission (it’s not a problem to receive it). Considering that most land is privately owned, you will require additional permission from the owner. Any valuable object found shall also be shared with the landowner. The museums have a priority right to acquire finds. Concealment of a discovery is fraught with punishment. In England the value of the find is determined in a rather interesting way. For example, a Roman lead plate isn’t viewed as a valuable find, although it costs $363,625
USA. Metal detecting is allowed without any restrictions. To search on privately owned land you will need to obtain permission from the owner.

24 setembro 2018

NÃO SEI SE É SAUDADE 2013 SETEMBRO

 A cerca de 65 70 milhas, chegou este menino para nos proteger.... Nunca de noite, que é má conselheira. Seguiu-nos até ao cais.



A visão recorrente no rio BONNY, ora amarrados às boias de demarcação, ora a pairar  entre elas. Sempre a distancia de tiro. Percebi que de pouco servem.....


Já com os dois " security officers" , que nunca nos deixaram,. Rapidamente ficaram 3. 


O "serviço" era o que era. Não evitaram alguns meses depois o assalto.


YELLOW MOON




Ontem foi o dia da Yellow Moon, que é uma lua que acontece muito raramente. Provávelmente até nunca aconteceu ..... ??
É muito como as outras , redondinha e tudo,  só  que a " pintamos de amarelo"

14 setembro 2018

FURACÃO HELENA E OS AÇORES OCIDENTAIS

O caminho e as condições que se esperam, às horas indicadas à direita. Igualmente, a provavel chegada às LAJES, conforme indicado , dia 16 01 horas Zulu





O MAR - VAGA - para a hora indicada

 E o VENTO expectavel .




09 setembro 2018

A GUERRA DA HORA


     Chegados aos finais do verão, ( e também ao principio dos calores), temos sempre de falar da mudança da hora.
     Independentemente da questão da mudança da hora se ter transformado em questão económica - para travar o  consumo mandam-se as pessoas para casa de noite , fazendo do horário da  manhã  o cavalo de batalha, diz-se e desdiz-se o que se deve e não deve.
     Veja-se o que pode alterar - e o que tem alterado, com base nas certezas do Bandarra:
     A visão tem eu excelente artigo , onde:


     

Conforme se pode ver, a infografia mostra  uma versão do famoso " casaco do pobre", que para abotoar bem  à frente, descose-se atrás. O que se tira de manhã, dá-se à tarde.... E é neste dar que está o busílis..... Económico.
        Mas vejamos a dança do Sol, e o acompanhamento dos relógios.
       A hora legal é-nos dada a partir de uma referencia - fuso 0 - meridiano de Greenwich. que marca o começo das medições. Para a esquerda,  Oeste , tira-se tempo. Para a direita, Este, soma-se tempo. O Sol já por lá passou, antes. Portanto mais tarde.
Mas porquê fusos? Porquê o seu distanciamento?
      Agora é que começa a dança do Sol. O Sol, no movimento aparente no espaço, percorre uma volta completa à terra, em - simplificando um pouco - 24 horas. o que, dividindo  o espaço  ( 360º), temos 360/24=15º. É isso que o sol percorre numa hora. 15º de arco são então 60' de tempo. Ora bem, alguém que viva a 15º  (São 900 milhas náuticas, em 1 hora) de arco da referencia, estaria portanto desfasada 1 hora; isto é a uma hora de distancia.  Temos o fuso. a 30º temos mais um fuso, e que será positivo se for para ESTE, ou negativo se for para Oeste. E assim por diante. 




 Depois claro, o que era a principio simples, e que significava acompanhar o Sol, por tão simples, complicou-se.  E da imagem acima resulta que, onde a mão do homem não alcança, os meridianos são exactamente como nasceram. " Gomos" de 15º, alinhados como Deus mandou. Entra-se em terra- Humanidade, e é o Xico dos Pipos, a dançar.

Ressalta disto tudo:
1hora em tempo equivale em arco a 15º. O Sol percorre no que conseguimos ver, um arco de 15 graus. Daqui saem então os relógios solares. Resta acrescentar que cada terra terá o seu horário solar, desde que difiram em longitude. Reduzindo a escala para o minuto, temos que por cada 4 minutos de tempo, corresponde  1º de arco. Ou ainda 1 minuto de tempo, ser .25º
A longitude de Albarraque, onde estou é de exactamente  9º35´ Oeste. e neste preciso momento, fruto do que atrás está dito, são 14h12m legais, e 12h 34m solares. É a nossa relação com o Sol. 1h e 38 minutos afastados.
                Também há que convir que a hora que nos aproxima mais do Sol, é SEMPRE A HORA DE INVERNO. Teríamos amanheceres  cerca das 04h30m. e por do Sol  cerca das 19h30m. Estaríamos 38 Minutos afastados do Sol. Se se atrasassem os relógios 30m, então acompanharíamos o Astro Rei, como já se fez, muitos anos.
Mas a Economia......
PS:
"Dec. Lei de 26 de Maio de 1911: definiu que a partir de 1 de Janeiro de 1912, a Hora em Portugal deixava de ser local (meridiano de Lisboa, OAL) e passava a reger-se pelos Fusos Horários da Convenção de Washington (1884), colocando a hora do continente no Fuso das 00:00 horas (Greenwich). Estabelece ainda este Dec. Lei no seu Art. 4º que as horas entre o meio-dia e a meia-noite sejam designadas com os números das 13 às 23, e que “A meia-noite, neste caso designa-se por zero” horas. Assim, a Hora Legal em Portugal Continental foi adiantada de 36m 44,68s, ou seja a diferença de longitudes entre os meridianos do OAL e de Greenwich."