15 dezembro 2012

PORTA CONTENTORES


Mon compagnon de route.


Abana mais do que eu. O que prenuncia contentores vazios.


Ao por do Sol, ficam douradinhos....


Mais crus por vezes.

O Douradinho, em tons de verde.....

13 dezembro 2012

ALERTA TINTO

 
Ilhavo, A Grande, deverá estar por esta altura a iniciar os procedimentos para entrar em ALERTA TINTO, o segundo mais grave na escala unitária da Boavista. Prevê-se aliás que rapidamente proceda para o ALERTA BRANCO, quiçá mais grave ainda, deixando o ALERTA ROSÉ para mais tarde e outros voos

O fim de semana será de alerta amarelo, Superbock talvez, sendo que destilada,  poderá acontecer o milagre do puros maltes, ao borralho.

Nós por cá todos bem, em ALERTA TINTO SHIRAZ - Stellenbosh, variedade Spier



Aspecto do rio Boco sob a Ponte da Gafanha.
Yupiiii, tenho um gafanhão comigo!!!!

BAÍA DE LUANDA

 
 
 
 
 
Aí Vêm os carrinhos novos, prontos para defrontar as picadas urbanas.
 

 E claro, o correspondente combustivel para os carrinhos novos, também chega cá.


O Montevil, que chegou  há dois anos, a navegar nas águas de Luanda. Era de Lisboa.
Foi uma viagem tremenda. 18 dias para chegar . Deu para ver uma depressão tropical a nascer. Ganhou nome, e pude acompanhá-la, no seu caminho.


12 dezembro 2012

CAPE DISPATCH



 Com a famosa nortada do sul.



Com menos vento. Bonito palhabote. Escuna para estes fulanos. Mesmo sem o traquete artilhado.

CAPE DISPATCH 13THDEC12


Estivemos juntos em Algeciras....

É bom ver-se terra, quando se vem do mar. Percebê-la e finalmente tê-la. É quase um acto de posse, a
aterragem

45 nós de vento. Veja-se o ferro deste.

Vindo de 10 diazitos de mau tempo, ou pelo menos tempo menos bom, a ter de ouvir a RADIO NACIONAL DE ESPANHA  para tentar saber as noticias do canto luso. Ainda não me conformo, como diria a minha avozinha. Não me conformo, não senhor.
E também não me canso de tentar perceber como é que se chega a este estado de inacção, quase coma , que a nossa gente apresenta.


2 dias à espera de poder atracar. precisava de 35 nós para a manobra. MSC SINFÓNIA,  em linguarejar de cá.

Mas à frente, que a vida não vai parar. E se todas as estradas vão dar a Roma, alguma há-de passar pela lucidez.
Mas que se registe ´: Ouve-se a radio espanhola, para as parcas noticias que entendem que merecemos.
Entretanto, vou fazendo croché ( é assim que se escreve?), enquanto espero pelo noticiário em espanhol, e vou vendo os infelizes, imbecis que ainda têm marinha; Doidos, serviços, lotarias e afins é que está a dar: No nosso caso, para o torto.

23 outubro 2012

SORLANDET

 
É um full rigged ship, de três mastros. Clipper também para os anglo-saxónicos.  Nós somos mais elitistas, e às tantas sulistas.Chamamos-lhe Galera, e que tem a vestimenta como se mostra abaixo.
Os dados sobre o Sorlandet, que é uma das regiões meridionais da Noruega ( se é que as há), estão  neste link.
Está fretado a uma fundação canadiana, e por isso mostrava a bandeira de registo, tendo ainda envergada ao lado a bandeira do Canadá.
 


COSTA CONCORDIA TITANIQUIZADO







O Capitão Schettino está em tribunal, já culpado e ainda não acusado, da perda de 32 vidas e, igualmente, da perda do seu navio. Isto , para além da destruição do ambiente marinho, porventura o mais  caro às noticias.

O Capt. Schettino, como todos os capitães, tem um conjunto de oficiais em quem delega responsabilidades, nas respectivas funções. Esses oficiais, ao contrario do que se possa pensar,  não são escolha do Capitão, antes impostos por conceitos economicistas difíceis de entender.

Modernamente, nem o armador sabe quem tem a trabalhar para si.

Hoje em dia, é vulgar verem-se perfeitos lavradores, titulados pelos mais variadíssimos certificados, embarcados e  embasbacados, a desempenharem as mais variadas funções de forma normalmente pouco ou nada eficaz.

 Provêm normalmente de países sem contacto com o mar, ou então com muito pouca tradição marítima.

 Pelo contrario, em países ribeirinhos, tradicionalmente marinheiros, são desincentivadas todas as profissões ligadas ao mar, com a excepção, como tenho referido,  da versão lusa da arte de vender BOLAS DE BERLIM, ao sol de verão.

Talvez seja esta, uma das principais razões da subida do numero de acidentes, e igualmente do incremento da gravidade dos mesmos. Tem-me sido referido  por observadores mais atentos, que apesar do menor numero de navios que sulcam os mares, da maior panóplia de novas tecnologias, e de uma suposta melhor ( ??) formação de todos os intervenientes, os acidentes acontecem com demasiada frequência.

Provavelmente o COSTA CONCORDIA será um dos casos.

Construído para albergar 5 000 almas, deveria ser um dos expoentes da nova construção naval.

Parece que não o foi. Com uma rasgo “  à la Titanic”, demorou pouco mais de uma hora a ficar com está, e, não fora o facto dos fundos serem baixos, teríamos porventura algo de diferente , para muito pior, como tema de conversa.

A industria do turismo embarcado movimenta muito mais dinheiro do que o que está agarrado à simples venda dos bilhetes.

Talvez por isso se fale tão pouco deste caso, e haja tantas desculpas para explicar o inexplicável. Por isso também deixo cair o caso, mas nada satisfeito.

Registo contudo, que o Capt. Envolvido, fruto talvez do seu desvairo,(?) não deverá ser ilibado, mas se o condecorassem, não viria grande mal ao mundo.
 
 
A INDUSTRIA assiste a este desenrolar impávida e sereníssima. As administrações, igualmente, ao confiar cegamente em nomes.

 

17 outubro 2012

PORTUGAL DE HOJE 2ª PARTE

 
A memoria politica dos homens dura menos de quatro anos. Muito menos. E isso faz com que, os bandidos de hoje, corruptos políticos à beira da prisão ( só à beira) apareçam como heróis  pouco tempo depois.

Não me refiro a ninguém em particular, descanse. Sei que deverá haver por aí políticos e gente que se dedica a isso - o que quer que isso seja – honestos e dedicados. Não me recordo de nenhum, mas devo ser eu que ando esquecido.

Vem isto a propósito de um artigo , da autoria de Maria do Céu Lopes, publicado no jornal da minha terra, O ILHAVENSE, onde refere algumas frases actualíssimas, proferidas pelo Dr Mario Soares, em datas não muito distante. Creio que a Srª Dª Maria do Céu Lopes não se zangará comigo por esta minha má acção.

- Os problemas económicos em Portugal são fáceis de explicar e a única coisa a fazer é apertar o cinto. – Diário de Noticias, 27de Maio de 1984

- Quem vê, do estrangeiro, este esforço e a coragem com que estamos a aplicar as medidas impopulares aprecia e louva o esforço feito por este governo. – Jornal de Noticias, 28 de Abril de 1984

- Quando nos reunimos com os macroeconomistas, todos reconhecem com gradações subtis ou simples nuances que a politica que está a ser seguida é a necessária para Portugal. - – Jornal de Noticias, 28 de Abril de 1984

- Fomos obrigados a fazer, sem contemplações, o diagnóstico dos nossos males colectivos e a indicar a terapêutica possível. – RTP 1 de Junho de 1984

- A terapêutica de choque não é diferente, aliás, da que estão a aplicar outros países da Europa bem mais ricos do que nós. - RTP 1 de Junho de 1984

- Desemprego e salários em atraso, isso é uma questão das empresas não do estado…. Isso é uma questão que faz çparte do livre jogo das empresas e dos trabalhadores….. O estado só deve garantir o subsidio de desemprego. - – Jornal de Noticias, 28 de Abril de 1984

- Pedi que com imaginação e capacidade criadora, o Ministério fdas Finanças criasse um novo tipo de receitas, daí surgirem estes novos impostos. – 1ª Página, 6 de Dezembro de 1983

- A imprensa portuguesa ainda não se habitou suficientemente à democracia e é completamente irresponsável. Ela dá uma imagem completamente falsa .-  Der Spigel, 21 de Abril de 1984

 

Com o povinho que Deus lhes deus, fazem tudo e de tudo.

Abençoados


PORTUGAL DE HOJE 1ª PARTE

11 outubro 2012

1ª REPUBLICA


Sem grandes delongas, a contenção das despesas publicas passam só pelos despedimentos -
Até agora, a coisa foi mascarada com as saídas para a reforma, onde mudavam a conta e coisa desaparecia momentaneamente.
Mas agora  é mais à séria. e há mesmo que poupar. Globalmente. O sr Deputado Zorrinho, já nos deu a receita. Trocam-se os BMW´s pelos AUDIS e a coisa vai.
Claro despedem-se as pessoas que sempre fizeram falta, e que à conta dos seus empfregos construíram sonhos e castelos.
Deixar de comprar os carros, esquecer as mordomias, mesmo por pouco tempo que seja, é que NÃO!
Não podemos andar de CLIO.
Muito bem senhores  Deputados.
Eu, português , digo-vos: FUCK YOU VERY MUCH.
E tenho vergonha por vós.E de vós.







 

08 outubro 2012

Dª LUISA, AINDA



          A Dª Luisa, ao afrontar um sr.deputado, referiu que  nos seus olhos  viu desprezo e arrogancia.
Próprio de quem não ousa misturas, dizemos.
Não define a classe, mas para evitar situações menos claras no futuro, deviamos passar a lidar mais com os senhores (as) , fazer com que sejam eles o garante e não os partidos, abstratos e impessoais.
É facil, o mundo sabe como se faz.....
Creio ser a ocasião esta, onde haverá  pouco que fazer. No fundo, no fundo, é só contar o dinheiro dos outros.
Nós, os marinheiros, temos a vista do mundo por estes vidros, retratados acima.
Mas sabemos ver.



 

06 outubro 2012

Dª LUISA TRINDADE, A PORTUGUESA

 

O desencanto é como a absorção, mas ao contrário. É desengano, atirado de chofre à cara. Ficamos aturdidos, sem reacção é à espera de algum santo milagreiro ou poção mágica que nos restitua o ar.E o orgulho.

Orgulho que vamos procurar na rua, entre iguais, também desenganados deste mundo de faz de conta. Faz de conta que temos e faz de conta que não precisamos.

Temos o melhor povo do mundo, dizem-nos. Não nos explicam é que é pelas piores razões que temos o melhor povo do mundo.

Se eu ganhar, vamos ter mais feriados. Lógica Socrática, que dar o que não é nosso, não é fazer de conta. É destruir de facto.

Erro colossal, também se apregoa da última governação , como se não houvesse passado.

Pois o melhor povo do mundo, com quem eu orgulhosamente me misturo, prepara-se, e já não espera por um D. Sebastião nevoeirento, falho de pontualidade. Prepara-se.

A D. Luísa Trindade foi a voz dos Portugueses, ao gritar que não é a bandeira que está ao contrario. São eles, que estão de pernas para ar, à espera que os portugueses os endireitem.

Também de quem já queimou, pisou, e fez milhentas tropelias à bandeira, virá-la de cangalhas até que foi bom…..

Desenganem-se os Costas, Cavacos, Soares, Sampaios , Guterres e companhia limitada. Não vão voltar a falar por nós. Não vão poder prometer o que lhes não pertence, oferecer a alguns o que é de todos. 

 


E quando pensarem que já viram de tudo, então desencantem-se e desenganem-se. Nós estamos a chegar.

05 outubro 2012

SERÁ AGORA ?

Em 2011
da imprensa
 
O Bureau Veritas vai classificar dois navios asfalteiros a serem construídos nos Estaleiros Navais de Viana do Castelo (ENVC). Estes navios serão os maiores do mundo, no que diz respeito ao transporte de asfalto.

As suas características principais, 188 metros de comprimento, 27000 toneladas de porte bruto e calado de 9,5 metros diferenciam estes dois navios asfalteiros, cuja construção terá início em Outubro deste ano nos ENVC. Este projecto pioneiro encontra-se em fase de aprovação e após a sua conclusão, prevista para 2014, estes navios tornar-se-ão os maiores do mundo, ultrapassando a barreira das 8000 toneladas de porte bruto dos navios de transporte de asfalto actualmente existentes.


Navio asfalteiro

O contrato celebrado entre o Bureau Veritas e os ENVC prevê, por parte do Bureau Veritas, a classificação e certificação estatuária dos navios e, por inerência, a certificação dos materiais e equipamentos empregues. Para a adjudicação deste contrato foi determinante a qualidade e experiência do Bureau Veritas, e o facto de este dominar o mercado no que diz respeito às novas construções”, acrescenta Miguel Morgado, Chefe do Departamento de Novas Construções. Ainda antes de ser assinado o contrato, o Bureau Veritas prontificou-se a prestar todo o apoio técnico necessário, dando a conhecer aos ENVC as suas ferramentas e métodos de trabalho.

Este contrato surge no decorrer de um acordo celebrado pelo Governo Venezuelano, para a construção de dois navios asfalteiros para a PDVSA Naval, num contrato da ordem dos 130 milhões de euros. A construção dos dois navios assegura 45 meses de trabalho aos ENVC, sendo que o primeiro navio será entregue à PDVSA Naval daqui a 36 meses e o segundo daqui a 45 meses. O contrato celebrado entre o Bureau Veritas e os ENVC representa uma facturação de 1,5 milhões de euros, terminando em 2014.

Quando as dimensões e complexidade de um navio representam um desafio significativo, apenas sociedades classificadoras como o Bureau Veritas possuem a competência técnica e a experiência necessárias para proceder à sua aprovação e inspecção, independentemente do seu local de construção, recorrendo a uma rede internacional de escritórios extensa e reconhecida.
 
 De hoje, Outubro 2012

Estaleiros de Viana vão trabalhar em pleno até 2014



Os Estaleiros Navais de Viana do Castelo (ENVC) vão trabalhar em pleno até 2014 em resultado do novo acordo para a construção de dois asfalteiros para a Venezuela e pela conclusão de um patrulha para a Marinha.
A informação foi avançada hoje à agência Lusa pela administração dos ENVC e resulta das adendas ao contrato de 2010, no valor de 128 milhões de euros, rubricado com a empresa de petróleos da Venezuela (PDVSA).
Este acordo permitiu retirar os estaleiros da situação de incumprimento contratual em que se encontravam há vários meses - que colocavam a PDVSA em condições de denunciar o acordo -, possibilitando o início da construção.
«Com esta carteira, os ENVC empregam o pleno do seu actual quadro de pessoal, o que é motivo de grande satisfação para a administração», acrescentou a fonte.
A empresa já recebeu da Venezuela, até Junho de 2011, cerca de 10 por cento do valor do negócio, correspondente a 12,89 milhões de euros, verba utilizada noutras obrigações "que não as do contrato".
O novo acordo com a Venezuela, sublinha a administração dos estaleiros, representa ainda um «dado decisivo para o futuro e para o processo de reprivatização da empresa» por «acrescentar um volume significativo à carteira de encomendas em curso» e de «diversas reparações já contratadas».
Além da construção destes dois navios asfalteiros, cuja entrega, precisou a administração, está prevista para Março e Novembro de2014, acarteira de encomendas contempla também a retoma da conclusão do navio-patrulha NRP Figueira da Foz e os acertos finais no primeiro destes navios para a Marinha, o NRP Viana do Castelo.
Com o aditamento ao acordo com a Venezuela agora assegurado, o negócio permanece na carteira de encomendas dos ENVC, estando o retomar da construção dependente da aquisição de material, sujeita às regras da contratação pública que vinculam a empresa, e também do processo de reprivatização em curso.
Esta é já a segunda revisão ao contrato, depois das alterações dos prazos de entrega negociadas no início deste ano, pelo que o processo já leva mais de um ano de atraso face ao primeiro acordo, celebrado em 2010.
Em causa estão dois navios com 188 metros de comprimento para transporte de asfalto.
Diário Digital com Lusa

Agora meu: Estamos LIXADOS!!!!!

20 setembro 2012

O MUNDO EM NOTICIAS ( O MEU MUNDO, CLARO ESTÁ)



Lembrei-me deste titulo,  porque , muito  miudo, via na tela do " Cine Teatro de Ilhavo" (A Grande), antes do filme começar,  a rubrica " assim vai o mundo", que era a coisa que para eu mais me lixava; queria era ver o Tarzan, o Zorro, ou até o fim do mundo em cuecas, mas por favor, tirassemaquela porra dali. Impaciencia  dos anos , poucos.

 

 E tem a ver com o facto de eu ter estado a ver o BENFIQUINHA na net.  Como todos podem ver: www.p2p4u.net.

A diferença é que tive de comprar o bilhete para ver; isto é, tive de pagar para ver; Mas explicando:

Da imagem transparece o local onde estou. A dois passos de Portugal, dirão ustedes. Assim é, mas esses dois passos, são dois passos a mais que me não deixam ver quer a televisão, quer ouvir a radio portuguesa.

Não é inócua esta minha observação: aliás, mais incisiva não poderá ser, visto tratar de um dos maiores atentados à lingua portuguesa ultimamente perpetrados.



Ora uns caramelos da RDP, (RTP), com medo de, com os custos da transmissão dos programas  EM LINGUA PORTUESA em onda curta, destinados SÓ para os portugueses e PALOPS , lhes retirasse um qualquer subsidio ( logicamente escondido da maioria dos portugueses, que é assim que eles vivem, nunca esqueçam), embarcam na peregrina ideia de fechar as ditas transmissões em "onda curta"; Aqui um parentises só para recordar as palavras de um colega meu (??????) sindicalista ( não cabem as interrogações) que afirmava de boca cheia não se justificarem tais transmissões, pois não havia marinheiros em Portugal , ( ou coisa parecida). Este pixote, que não pode ter outro nome, há-de estar na primeira linha dos opositores ao Novo Acordo Ortografico ( voz do dono, claro). Claro que nem
 
 O Jornalista que lhe fez a pergunta,  tao pouco o sindicalista ( pixote), sabem do que estou a falar. É o NOSSO MAL.

 

Esta historia começa com uma mentira ao zé povinho, que por ignorância ou desmazelo, deixa escapar estas coisas: o senhor lá  da fundação, Instituto, ou o caraças por nós régiamente pago, anunciou a paragem provisoria da emissões. Não acrescentou que a O.I.T, com as frequências  paradas, atribui-as de imediato a outros países: Isto é, os Moçambicanos que nos ouviam nos 27 MZ, sempre de rádio na mão, hoje vêm telenovelas brasileiras, ajudando ao Novo Acordo Ortográfico. Igualmente deste lado do mar Atlântico, os angolanos, cabo verdeanos, são tomenses, e sei lá, toda a diáspora de Portugal, Angola, Cabo Verde, S.Tomé e Moçambique, ficam impossibilitados de ouvir falar português, deixando que o brasileiro vá substituindo paulatinamente o nosso falar ancestral. É por isso que digo que se tratou do maior atentado à língua de Camões:
-Privarem milhares de ouvintes de saber as noticias do ser cantinho amado. Privarem esses milhares de ouvir os relatos de futebol, eles, que sabem mais sobre benficas e futebóis que nós alguma vez saberemos. Pura paixão a deles.
Para justificar um tal subsidio escondido dos portugueses. É o Portugal no seu melhor, que é, aliás, o que tem sido há já muitos anos.
Os meus cumprimentos, ao sindicato e sindicalista envolvido. Brilhante

24 agosto 2012

O MAR, À FLOR DA PELE


Ainda não tinha acabado de ler o DN com um artigo em que o tema é o mar, com diversas personalidades a dar a sua opinião,  e já estava aos gritos! Resta-me a duvida de saber que não será a sua opinião, mas de outrem, talvez " comprada" num outro jornal ou revista. Mas enfim, coisas da santa ignorância. Mas alivia-me um pouco.

Depois de ler alguém que se diz comunicador fico  nem eu sei bem como. Não fico bem : Comigo, e não fico bem com o nosso Portugal de hoje.

Ora bem, este senhor refere às tantas que adoraria ser " embarcadiço", porque, sentado nas praias de Key West ( para quem não sabe e não tem os privilégios deste senhor, é na Florida, na parte mais ao Sul) imaginava-se a dar a volta ao mundo. Paquetes , note-se. E imaginava-se embarcadiço.

Comunicador, diz que é. Mas que é ser comunicador? Somos 10 milhões de comunicadores?? Comunicador não é nada, pois não, Mas embarcadiço, muito pelo contrario é. O termo, em tempos pejorativo, indicava as pessoas que normalmente eram " caçadas " e forçadas a embarcar nas caravelas, ou então , por disposição legal , forçadas a embarcar. Hoje está em desuso, felizmente.

Mas há o marinheiro, que é o embarcadiço que gosta do mar. Não o mar visto de terra, ( mesmo nas Keys), mas do mar salgado e rude, diário de contradições. E esses marinheiros, ao contrário dos Comunicadores, são mais que marinheiros: São Médicos, Enfermeiros, Capitães, Cozinheiros, Engenheiros, e uma infinidade de outras coisas. Mas estas profissões, quando embarcadas, dão lugar a uma outra mais abrangente, que é a de marinheiro.

Comunicador, além de não ser nada ( ou mais exactamente 1/ 10.000.000 ) ,também não é mais nada.

Prezo-lhe contudo a pachorra de esparramar estas coisas em papel. Valha-nos isso, para se poderem contar as espingardas.

No oposto, com uma sobriedade de espantar os tais 10.000.000, temos o Zé Cid, homem do norte, de famílias tradicionais, mas com o bom senso da região: O NOSSO FUTURO, É A TRADIÇÃO. E prontos, está tudo dito.

Nunca pensei chegar aqui, onde estou, com os meus 58 anos, e ter de ouvir esta gentinha, a falar do que não sabe. E ter de sustentar uma cáfila que lhes dá cobertura e visibilidade. Fónix.

É mais fácil de entender a forma como chegámos ao estado miserável onde nos encontramos, de ter transformado uma país gordo num quase cadáver alimentado a soro.

O MAR, senhores, é sério de mais para ser a vista, o conforto, enfim, um mês por ano.

O engraçado nisto tudo, é que se perguntarem aos mesmos indivíduos que respondem neste artigo, algumas profissões de mar, vão, com toda a certeza, ser unânimes: NADADOR SALVADOR, ou VENDEDOR DE BOLAS DE BERLIM.

22 agosto 2012

MAGREB


Por aqui os calores também são de acordo com o esperado. Dificil a net só com gprs.
Tudo mais dificil que chez nous.
Vou tentando dar noticias, não sei bem como.

24 julho 2012

NASCER DE MAIS UM DIA


 Tem-se a ideia de fartura, quando se pensa em Africa.


Pois, não foi de propósito.

SEMAKAU


Ao ouvir este palavrão apetece-me logo dizer: ÉS TU!!!!
Cada um tem o que merece. Os navios são senhoras, mas às vezes com nomes de homens....

Bateu no fundo, ao passa pelo canal de Suez. Sem danos, ou registos de poluição. Reflutuou by herself, e cá esteve em Cape Town, com a trouxa .


 320 metros para 6 478 contentores ( 20 pézes)


Aqui por cima. reparem na nuvem baixa que sobrevoa parte da cidade. Não conheço outra terra onde as ,assas de ar estejam tão diferenciadas. Por vezes, temos 3 estratos diferentes.

23 julho 2012

Fotografia: Cape Town 2012


Lembram-se da estoria em que um turista,ao passar por uma localidade longínqua (?)  deste nosso Portugal, indaga a 2 residentes ( reformados pois claro!) sobre como se dirigir a uma outra localidade?? Fá~lo primeiro em francês, depois em inglês e alemão, e por fim em espanhol  sem que obtenha outro resultado que não seja dois abanares de cabeça.
Comentavam após o encontro:
- Acho que devíamos aprender línguas, carago!
- Prâ que, retorquia o outro... Vê bem as línguas que o gajo falava e para o que é que lhe valeu.....

Em marinha, diz-se que a velocidade de um comboio ( de navios, claro) é necessariamente a velocidade do navio menos veloz - ou mais lento.

Assim vamos nós.

TROMPE D'OEIL




Nos limites.







19 julho 2012

VALHA-NOS NOSSA SENHORA DOS AFLITOS


 Os portugueses, que todos os vidas validam as atrocidades que tantos e tantos anos de desgoverno, despesismo e desmemorização, olham para o umbigo e pensam, com toda a certeza, que povo igual não haverá. Pelo menos deste lado do mundo.


E não há!

18 julho 2012

A ENTRADA DA BARRA DE CAPE TOWN

Em boa verdade, não existe barra em Cape Town, Antes uns esporões que servem para conter ( mal) a ondulação por vezes forte. Mas, basicamente e felizmente, funciona.


O cais da entrada da barra. Sentia-me como o policia do porto. Ninguém saía, ou entrava sem eu dar por isso. Por vezes era engraçado ver os gigantones do mar, passar a um metro de mim. Questão de dimensões..
A serra, essa, é uma constante na vida das gentes de cá.

O ROMANTISMO E O MAR


1. - Onde está o mar? É assim que nos sentimos, " abanados" sem motivo à vista.


 2.- Contratos de embarque de 2 anos.


3.- São alvo de todo o tipo de sevicias a bordo. Meninos ainda.


Estranhamento, ( ou se calhar não), e apesar do enorme conjunto de códigos aprovados , há hoje Mais  e mais sérios acidentes do que na decada de 70, que é quando eu comecei a navegar. Também apesar de haver BASTANTE MENOS navios no mar, e haver uma  sensação de segurança, que afinal não o é.

OCEAN PRINCESS


Naviozinho para 680 passageiros, quase que apetece classifica-lo como " antigo", ou pelo menos demodé.
Repare-se que 4.000 passageiros e 2.000 tripulantes andam por aí.
E as qualidades ditas de " Navio " serão com toda a certeza muito diferentes do Costa Concordia.






16 julho 2012

WHAT A DIFFERENCE IT MAKES


24 litle hours......


 Aqui fazem toda a diferença
Até as focas ( leões marinhos) vêm ajudar à festa.....




Será que alguma vez, vamos ter SINES, pelo menos assim???
É que entre o diz que faz, não faz mas não faz e finge que faz, já se fizeram muitos portos. Só falta saber se os suficientes.