17 dezembro 2011

PRIMEIROS SINAIS


São os primeiros ( é únicos) sinais de vida dados pela casa da máquina:
Fumo com quilometros....

15 dezembro 2011

PARA GRANDES MALES




Custom sized tool.




Para uns apertos (zitos)

NORTH STAR

Por aqui chamam-lhe Service Vessel, e parece que o é. Dá apoio aos navios em Table Bay, fora do porto, com tudo o que se possa imaginar.





Passa sempre por aqui, o que quer dizer que tem poiso perto.



Entretanto, veja as diferenças....

’ANTARCTIC GATEWAY’

Ou muito simplesmente a porta para baixo.

Retirado dos portos de  Africa do Sul.

A proposito,as placas, as plaquinhas e as outras maiorzinhas abundam por aqui. ´Já tenho outra na manga.

’ANTARCTIC GATEWAY’ PLAQUE UNVEILED AS SA AGULHAS BEGINS HER LAST JOURNEY TO THE ICE

Image and video hosting by TinyPic
The plaque commemorating the importance of Cape Town and the V&A as the Gateway to Antarctica. Picture by Pat Downing


Pena não falarem na minha novel viagem de exploração, nua prancha de windsurf; Sei que virei à esquerda, em vez de ir sempre para baixo, mas caramba.... Só por isso??!! Talvez fosse por ser             " ligeiramente"  após 1930; será disso?


Cape Town’s world famous V&A Waterfront is noted for its special and unique atmosphere and in particular for being a waterfront within a working harbour. But what it hasn’t so far capitalised on and marketed to its full potential is its great historical background and heritage, which is something that Captain Steven Bentley, the V&A Harbour Master, and the new owners of the V&A are keen to change.
What they apparently have in mind is the creation of a heritage trail through the waterfront, set out with a series of plaques in relevant places around the V&A, which would be used to help change this lack of historical information and local knowledge. The plaques could be connected to any interesting or important historical event or occasion that either Cape Town in general or the V&A in particular has been party to.
With this as a background, Captain Bentley in his capacity as V&A Harbour Master asked that an Antarctic Gateway plaque be unveiled to coincide with the final sailing of the South African Polar Supply ship, SA AGULHAS, which sailed on Thursday 8 December at 14h00 for the SANAE base Antarctica for the last time before being retired early in 2012.
The plaque unveiling ceremony took place just prior to the sailing of SA Agulhas, preceded by opening comments from the Director Southern Oceans & Antarctica Support of the Department of Environmental Affairs (DEA), Henry Valentine, who opened proceedings by talking about the importance of modern day South Africa’s place in Antarctica.
He was followed by the DEA’s director-general of Oceans & Coast, Dr Monde Mayakiso, who enlarged on the importance of Antarctica’s heritage before Captain Bentley outlined what the V&A wanted to achieve in this respect. It was then the turn of Jay Gates, vice-chairman of the SA Ship Society in Cape Town, a man with an expert knowledge of Antarctic expeditions. Gates was asked to present a suitable speech for the occasion which he did by way of a 5 minute talk on how special and important Cape Town was as an Antarctic Gateway, both historically and in present times.
This, he said, was unknown to most Capetonians and to virtually the whole of South Africa due to it having been of little interest and of no significance to previous administrations. Yet, Cape Town is the single most important city in the world in respect of its record of supporting exploration and research expeditions from 1739 onwards.
This applied especially in the opening up of Antarctica, including the epic voyages of Capt James Cook, the greatest maritime navigator and explorer of all time, who called at the Cape on no less than four times during his voyages of exploration.
He said that two of the greatest Antarctic seafarers of the ‘Golden Age’ of Antarctic exploration, John Fion MacLear and John King Davis, were themselves Capetonians.
Gates pointed out that the City of Cape Town Mayoral Committee has its own ‘Antarctic Gateway’ portfolio which is actively promoting Cape Town as the Gateway to Antarctica, along with the Department of Environmental Affairs and its Antarctic Division.
He then handed over to Captain William Leith, a retired SA Agulhas captain who served on her for 21 years, who unveiled the plaque.
The day on the East Pier had been special, with the ship being loaded with last minute stores and expedition members boarding the ship and an atmosphere that was charged with excitement and emotional farewells as some members of the expedition are to spend three months down at the base and others all of 14 months. The speech and unveiling of the plaque proved most informative as the history it revealed was not known by most people present on the dockside who were there to wave goodbye to the SA Agulhas as she set out on her final voyage down to the ice.

10 dezembro 2011

JUMBO JAVELIN

Em Cape Town, ao que parece , a vida acontece.
Não é que seja um porto com um rodopio de navios a entrar e a sair, não. Mas há-os de todas as espécies e feitios; os que se parecem com navios, e os que não se parecem com nada.Como este por exemplo, que de traseira parece que  está de lado, e de lado parece que é outro. O Jumbo Javelin, veio cá "fazer bancas" e possivelmente render tripulação.  Ou com avarias pra reparar....É um navio estranho, no mínimo.

04 dezembro 2011

POLARSTERN

Tenho muitas fotografias do antecessor. Customava encontra-lo para as bandas do Skarregat, nos apertos dos canais. Este é mais navio e mais bonito. Portugal e os portugueses têm sorte: Não sabem o que são estas coisas. Sagrado!

CAPE TOWN FIRE AND RESCUE SERVICE, RAMO MARITIMO


Um tinónim à maneira.....

Vieram dar nas vistas.
Engraçado, que passados 2 dias sobre esta visita, u, dos navios aos cais, no caso um navio de pesca Coreano, ardeu até ao osso, ou seja à chapa..... Soldaduras durante o dia, assaduras  à  noite

27 novembro 2011

AQUICULTURA



No seu melhor, cultura intensiva de bichos, bichinhos e bicharocos.....
E uma escala de calados em pés.... Quem se lembra???

PORTO DE PESCA , AO DOBRAR DO MUNDO

Para além de ser um movimentadíssimo porto comercial, com todo o tipo de operações a correr, onde os helicopetros da pilotagem fazem parte do quotidiano, é também um porto, igualmente aberto  para os inúmeros  navios de pesca. Sul Africanos, Namibianos, e estes, possivelmente Coreanos ( do sul, que no norte peixe é miragem). Os Espanhóis ainda por cá aparecem. Portugueses, só a recordação. Compramos o peixe. Aos Espanhóis, aos Namibianos, aos Coreanos, Aos Sul Africanos, etc...


Novos e velhos, lá esperam por novas quotas e tripulações. Quando vejo estes Coreanos (??) não posso deixar de pensar nos nossos navios em St. John's, NFLD, e acredito que não deveríamos ser muito diferentes do que aqui está.


Não se pode ser novo sempre.....

Os nossos pescadores também foram useiros por aqui, e lembro-me muito bem do meu pai falar das maravilhas que por cá se viam, á data. Já não ficamos com os olhos em bico e a boca escancarada, já não. Mas abrimos ainda, e muito, a boca de espanto.

21 novembro 2011

NOSSA DENHORA DOS SETE A ZERO


Valeu aos Norte Coreanos, com todo o respeito, sete secos. E provavelmente uns anitos a apanhar castanhas, nos castanhais coreanos.



Foi aqui.

CÁPETÓNE

Era desta forma que os nossos primeiros pescadores se referiam a esta cidade.
É muito bonita , de facto.


 As fotografias foram tiradas ao telefone, em andamento para Sea Point.

20 novembro 2011

DOURADINHOS


Procurei o Capitão IGLOO, mas neste dia não estava disponivel para mim.


Valeu-me ficar a saber de onde vêm os douradinhos da PESCANOVA.

DIAMANTES; NAVIOS; JIPES E MOTAS


 O que parece ser um grande reboliço da América Latina, não é mais que um grande reboliço, ponto final.
Desembarcava-se uma grande fatia de "diamantas", convenientemente denunciada às autoridades locais,  e deixando os maus e os bonszinhos em  muito maus maus lençóis.

 No meido da confusão do desembarque, havia ainda tempo para umas sandochas e uma cokas, e muita gritaria, numa especie de confusão ordenada.

Tratava-se da gravação de um anuncio, onde apareciam tropas, beldades, diamantes e porrada.

Tudo se passou à minha porta, salvo seja.

NEGÓCIOS MARITIMOS


          The Royal Australian Navy’s (RAN) future HMAS Choules (L100) is due to call at Cape Town tomorrow. The former British landing ship dock, RFA Largs Bay, is on her way to Australia where she will be commissioned next month. The RAN bought the ship from the Royal Fleet Auxiliary earlier this year for £65 million.

          The Australia in August announced the ship would be named for Chief Petty Officer Claude Choules who died in May this year. “He died in Perth at the age of 110. This was a significant moment when the world lost its last living link with those who had served in WW1 [World War One],


         
           Quer isto dizer em tabernáculo ( vernaculo da taberna), que a Australia comprou um navio de guerra à Inglaterra por 65 milhões de piatras Ukeizianas, e, tanto quanto se saiba,  nem a Inglaterra  está em polvorosa com a venda do L 100, a contar comissões,  tão pouco a Austrália anda acabrunhada pela compra. Estórdinario, não?

É um navio que atraca de popa, mas no bom sentido. Também foi coisa que não me virou.
E não esqueçamos que em Inglaterra, os navios são tratados como meninas....

18 novembro 2011

WATER FRONT


          O Fairmount Glacier, que passou 3 dias em frente a mim, a fazer-pirraças. Tem 205 tons para tracção.
Nem sabemos o que isso é.

Enquanto em alguns países se aprimoram na construção naval, e já abonecam os seus navios, outros há que, step by step, se encaminham para o grande vazio maritimo. É o caso do nosso Portugal.
Em Cape Town, e aproveitando a zona histórica do porto de Cape Town, os nossos amigos fizeram as suas docas. Chamaram-lhe - e chamam - Water Front , estrangeirismo desnecessario, pois se lhe chamassem waterkant, a coisa seria muito mais fácil; pelo menos para os praguejantes de Suahili.....
Docas em bom, que é coisa rara de ver.

16 novembro 2011

KAAPSTAD


Não sei se já disse que a nortada  vem de cabeça para baixo, e ao final da tarde. Nem sei como as pessoas se aguentam de pé. Se calhar não aguentam.
Consciencia e Sr. Piloto Oliveira, bamos que se faz tarde.
Senhor Veiga, bibós Açores. Mais cedo ou mais tarde, bamos lá.

E no cais onde estou não há lagostas. Só lixo, cabos, arames e correlativos.

15 novembro 2011

O QUE DE CÁ VI


A vida faz-se à sombra da meseta, e mais ou menos, estamos sempre a ir para ela.
Fui à loja, e foi o que vi, até agora.


Meus caros,  NORTADA aqui, é realmente do Sul. e  é mais fresca que em Albarraque, ou Ilhavo -  a Grande.
Muita navegação de recreio, um e dois cascos. 4 cascos deverá haver, mas preciso de mais tempo.

NUM SE BRINCA CARAGO

Não sei como é possivel, mas existem formas de travar ( literalmente) a bandidagem.
Aquela dentadura que se vê à frente do carro, aliviará em muito o indice criminal cá do sitio.
Trata-se da saída do porto. Por acaso também é entrada; Mas só por acaso.

14 novembro 2011

O BOM GIGANTE


É-o de facto. Tromba ( proa) de proboscidio enorme.

TABLE MOUNTAIN


Esta terra, que dizem do cabo, deveria ser da meseta, tão omnipresente ela está.


 São poucos os locais onde não se vislumbre o penhasco enorme e nú.


Bom, e de falta de ar , aqui ninguém se queixa.... Isto é um autentico sanatório.

13 novembro 2011

SUSTOS DOMINICAIS

Tenho ideia que vamos todos ter de torcer o pescaroço, para ver bam a coisa.
Premonitório, será??
Isto é cá cada cagaço!!

01 novembro 2011

CONDIÇÕES LOCAIS PONTA DELGADA

Sul-Sudoeste , a crescer.....

Dá  práí uma força 9 ou 10.
Atracadinho é um consolo....

O QUE AÍ VEM - OU QUE JÁ ESTÁ

Os Açores são aqueles pontinhos a meio dos graficos.....

É um ai Jesus pelo continente; É um dia mau por aqui. E está realmente feio. Daqui a pouco, os carros dificilmente passarão para o porto comercial. O vento, nos 40 nós tem aquela sinfonia cacofónica latosa.
As gaivotas já há muito meteram de capa, as que não procuraram abrigo. Até nós, que daqui a pouco, é eles, estamos bem aninhados aqui na ponta do molhe.

30 outubro 2011

BAÍA DOS ANJOS

Depois há a realidade Nacional, Regional, e por aí fora.
VIVA!!!!!!


 Aqui vertido, o RUBY PRINCESS,  um do 16 navios que compõem a frota dos Princess.


Devemos estar todos orgulhosos do que fizemos à nossa marinha: A troca pelos camiões decorreu sem incidentes. De vitória em vitória, até à derrocada final....

NAUTICAL OVERBOOKING EM PONTA DELGADA


Um dia destes, puseram-me a andar do cais para dar banho ao ferro, à cause destes meninos.


 Todos se preparam para a saison " hurricane off-season" e que vai do 1º Juno ate 30 de NOvembro.

PESCADORES


Neste caso, já estão de volta. Saem normalmente com o dia, ou até um pouco antes. Serão uma 6 da manhã e é vê-los, com as suas luzinhas a iluminar a vastidão. Engraçado, que no meio do mar e cheio de cabeços, se coma muito cantaril(ho) e abrotea. Porventura o resto será para exportar. Ontem por exemplo, num restaurante de 25€ por cabeça ( normalissimo, cá para casa), só havia disso mesmo, abrótea e cantarilho.
Só se safam porque têm o melhor bife, num raio de quase 2.000 Kms.


O desenho dos barquinhos, anda entre as lanchas do nosso norte e os botes baleeiros, mais esguios, que se chama lá pelas estranjas double enders, pois não têm painel de popa.


E a pesca é regra geral muito colorida. Triste, mas igualmente colorida