27 março 2010

SOBERANIA



          Não sei se haverá algo escondido com estes factos/ noticias.
As profundidades, salvaguardando alguns "montes" submarinos, afastam o bom senso, como se pode verificar  nas imagens seguintes. Na segunda imagem, temos a queda abrupta da plataforma continental., e a 50 milhas da costa, atentem nas profundidades, que só encontram paralelo om a os poços de petróleo que a Galp compra ao Brasil.
          Mas enfim, vamos a eles.....






Este ano, Portugal cresceu mais um bocadinho; A antecipar outro crescimento , esse valente, da PLATAFORMA CONTINENTAL ESTENDIDA.

Não sei se será a este facto que o “nosso” Joe Berardo se referia, quando anunciava a descoberta de petroleo, mas se assim era, ainda há um longo caminho a percorrer. E sabendo nós os artistas (?) que temos, deverá ser longo mesmo....

          Se a coisa for como os Centros de inspecção, Bombas de gasolina, Eólicas e por aí adiante, há uma vasta clientela a satisfazer, antes de chegar a produzir efeitos.

Recortes das noticias:

“....No que se refere a energia (hidrocarbonetos - petróleo e gás natural), há um relatório recente que diz que o potencial destes recursos nas plataformas continentais estendidas está estimado em 12 vezes 10 elevada à nona potência de dólares norte-americanos....”
Claro que refere-se aqui  A TODAS AS PLATAFORMAS.


          ".....Há quem diga que a plataforma continental é o novo Tratado de Tordesilhas para Portugal, tal a vastidão da área que pode ficar sob jurisdição nacional. Na União Europeia, Portugal já tem a maior ZEE. Com o alargamento da plataforma, passará a ser dos países com maior jurisdição marítima do mundo", diz o jurista Tiago Pitta e Cunha, que coordenou a estratégia portuguesa para os oceanos......"




          Claro que esta noticia vale o que vale. Temos este mar todo, e não temos industria da pesca. Temos o mar e não  temos Marinha Mercante.E tão pouco estratégias. E isso dói.  O mar é algo que é tratado a nivel oficial como " coisa" ," assunto", e sempre agarrado a outros assuntos, a outras coisas.
É claro que temos a EMAM - Estrutura de Missão para os Assuntos do Mar, de pendendo da Secretaria de Estado para os Assuntos do Mar, MdD. É muito assunto, ou muito mar????
da Pagina da Sec. de Estado:
Assuntos do Mar


Os mares e oceanos representam um meio de comunicação e transporte essencial num mundo cada vez mais globalizado, uma fonte de alimentos e fármacos, de energia e de recursos geológicos e genéticos. Para além da utilização associada, directa e indirectamente, a estas actividades, o Mar e as zonas costeiras têm um papel essencial no bem-estar e qualidade de vida das sociedades, quer através das actividades de desporto e de lazer, quer através dos serviços fundamentais que prestam, como sejam a regulação do clima, a retenção de dióxido de carbono e a produção de oxigénio, a reciclagem e armazenamento de poluentes.



No entanto, os oceanos enfrentam sérios problemas associados, entre outros factores, à poluição, à sobre-exploração de recursos, à destruição de habitats, à degradação ambiental, ao desaparecimento da biodiversidade e à introdução de espécies exóticas. Por isso, torna-se central definir e articular políticas que contribuam para os objectivos de desenvolvimento sustentável do nosso país.



Portugal está empenhado na promoção de formas inovadoras de aproveitamento sustentável dos recursos dos mares e oceanos, contribuindo para o desenvolvimento da economia do Mar e das indústrias marítimas, apostando nas ciências e tecnologias do mar, criando emprego, fomentando o ensino, a educação e o desporto associados ao mar, resolvendo conflitos de uso e potenciando sinergias através da implementação de um planeamento e ordenamento espacial das actividades. Em simultâneo, é necessário garantir que o valioso património natural e cultural subaquático do nosso mar é devidamente salvaguardado e protegido.


Bom, de lugares comuns estamos fartos.
Destes artistas também.

E não se pode dispensá-los???


Sem comentários: