08 novembro 2006

A PESCA NA GRONELANDIA 3

Pelas 18,30 horas, começou-se a virar a amarra e, pelas 19 horas, fizemo-nos de vela ao rumo NE 4N, com vento W e todo o pano largo. Juntos, na Virgin Rocks, estavam os seguintes lugres portugueses: Santa Isabel, Hortense e Cruz de Malta. Navegámos com vento W regular e nevoeiro cerrado, não se vendo os navios, quando partimos». A viagem, que demorou treze dias, foi toda feita com tempo irregular. Algumas vezes havia vento muito fresco, aguaceiros de neve e mar bastante agitado; noutras ocasiões, apenas se fazia sentir uma leve aragem, que mal fazia deslocar o navio, ficando este quase desgovernado, quando, pela tardinha, o vento acalmava por completo. Assim se foi singrando, pouco a pouco, por águas desconhecidas e muito frias, que eram olhadas com desconfiança e um certo temor. No dia 15, porém, pelas sete horas da manhã, passou à fala um vapor inglês, cujo comandante, depois de haver mandado parar as máquinas, forneceu algumas informações, muito úteis, a respeito dos mares da Gronelândia e sobre as condições de pesca nos seus bancos, chegando mesmo a oferecer algumas cartas daquela região. Os tripulantes de «Santa Joana», até aí tão receosos e cepticos, sentem que uma grande alegria lhes invade os corações. Mas, pela tarde desse mesmo dia, são avistados quatro enormes ilhas de gelo, que, novamente, a todos causam grandes preocupações. No entanto, a viagem prossegue, com a máxima cautela, sempre com vigias atentos, a prescrutar o horizonte, para que o navio se possa desviar de qualquer icebergue ou se não enfie para dentro de alguma zona gelada e, no dia seguinte, pelas 10 horas, segundo reza o «Diário» avista-se terra – a ilha da Gronelândia – toda coberta de gelo. «Pelas 18 horas, sondámos em trinta braços, continuando a navegar, com tempo muito bom e claro. Navegámos com vento bonançoso e terra à vista, ao rumo NE 4N, até que, pelas três horas, como houvesse calma e muito bacalhau à borda, ancorámos na posição de lat. 63.40 N e long. 53.00 W – Banco Fillas – com 50 braços de arame de 30 de correntes». O «Santa Joana» manteve-se neste «BANCO» cerca de 21 dias, sempre com bom tempo e fazendo pescas abundantes.

Sem comentários: