10 julho 2006

MUJE

Segundo parece, este " restaurante " que estava atracado na parte Norte da Doca do Espanhol, faliu; O Porto de Lisboa precisou de movimentar o dito, e, sem água vai ou água vem, agarra nele e reboca-o para o lado sul; Esta manobra foi feita na maré cheia; Vai de passar cabos e amarrar o " restaurante ", bem ammarado, não fosse o muge " mugir " pelas praias e barras do nosso pais; Pois tão bem amarrado ficou que só parou no fundo da doca, a alguns metros de profundidade; Ontem, para meu espanto, já estava ao sol, novamente.

1 comentário:

Anónimo disse...

Não tem comentários!
Só aqui neste país à beira-mar plantado!
Já fomos uma nação de marinheiros conceituados em todo o mundo.
Hoje somos um país de marinheiros de recreio e oxalá estes também não acabem, porque bem precisamos deles para ainda podermos ser falados em eventos nacionais e internacionais.
Eu que já fui marinheiro profissional também hoje sou o arrais da minha barcoleta.
Vivam as barcoletas e os seus skippers, que tanto amor teêm por elas!

O Arrais.