29 janeiro 2011

O calado, e as marcas.
Explicações lá mais para o Verão.
Só ontem tive consciência do quão profunda, grave e impiedosa é a crise dos espanhóis. Ou a crise espanhola.
À semelhança da gripe,  e como ela, são sempre más, menos bem vindas;

Já as espanholas…..

Bom, mas esta lenga lenga vem a propósito do que vi, nesta pretérita sexta. Fruto das minhas obrigações ( ainda não tesourais) desloquei-me a bordo de uma navio de uma empresa estatal, ou aparentada ( que isto agora é estado nos benefícios e deixa de o ser nas obrigações) e reparei que umas equipas de trabalhadores se encontravam em pleno processo de colocação de um convés. Que é o termo em marinha, para um vulgar pavimento para os pés. Bom, andavam por lá as equipas a assentar madeiras, de rabo ao alto, quando ouço uns palavrões em sonoro Castelhano de Espanha, o que me levou a indagar do insólito. E não é que ainda mais insólita foi a resposta? : Claro, são espanhóis, senhor…..

É como no faducho: São os Espanhóis, são os Espanholitos, são os caracóis…… e é o caraças!

Então fez-se-me luz : Em Espanha , Têm de trabalhar, carago!!!!!

Pobres espanhóis, que só a trabalhar lá vão.

4 comentários:

Anónimo disse...

?

João Manuel Rodrigues disse...

ah pois é!
Ao menos nós por cá nem sequer lá vamos.
Olha, até tou a pensar ir trabalhar, mas para lá.

João

BLUE MOON I disse...

??

BLUE MOON I disse...

João,
Eu não arriscava tanto.....