01 maio 2010

COMO OS PAQUETES SE VÊEM EM LISBOA


Ou de outra forma, como é que o passageiro de um navio de cruzeiros, vê  outro ( se for caso disso )


Este local, que é o Avançado de Alcantara, TPA, TPR, e Liscont, tudo mexido em poucas centenas de metros, é presentemente o local da discórdia, entre os lisboetas ( e não só).


Retirando o lado estético da coisa - trata-se, juntamente com o parque das nações, de uma zona de lazer perfeitamente consolidada, de bom arranjo, e diria mesmo única.


Este estado de coisas pode ser perfeitamente mudado, nada a opor. Retiram-se os jardins, paquetes e companhia e fica o Terminal de contentores. Mas para sempre. Assume-se.

                                     
Ora o que se está a preparar, é o dar cabo de uns tantos biliões à custa de trabalhos temporários, que desfeiam Lisboa, e que são afinal para REFAZER daqui a alguns anos; Se bem que o temporário em Portugal  se assuma como definitivamente provisório.


E o porto de águas mais profundas, a resolução do problema da Costa da Caparica, poderá estar afinal ao virar da esquina, na tão pouco falada GOLADA DO TEJO.

O direito à indignação, tão propalado em tempos (a maior parte das vezes sem razão, veja-se agora o estado da Nação) parece que é afinal num só sentido. E a  atirar para a desgraça.

.

Sem comentários: