27 junho 2013

MOL POPA AO FUNDO

 
 
Cerca de 1700 contentores afundaram-se com esta secção do navio; No caso, creio que a popa .
 O que quer dizer que os cerca de  1500 tons de Fuel  (?) a bordo estão em risco.
 
 
 
 
Esperemos pelos inquéritos.
MAIB.
 
 

NAVIO MOL EM AGUA DURA......



Já conhecido. Partiu . Ficou em 3 postas.



Porventura os próximos navios serão assim, construídos às postas, por forma a deixar as cargas e respetivas postas a descarregar nos portos, passando depois a recolher os sobejos...
Engraçado se compararmos estes navios, por exemplo, com o Costa Concórdia......


 

SEAFARER TODAY

Celeste Ann 1

20 de Junho
O  offshore supply vessel Celeste Ann , colidiu com uma plataforma de petróleo no GOM.
Não houve perdas humanas a lamentar.
Poluição , a normal...... Coisa que a bactéria não se delicie....

 

26 junho 2013

A LUA E NÓS


Igualmente para a vida selvagem (?), as coisas não devem ter sido fáceis. Que o diga esta popa que gastou uma tarde a alindar-se para a noite....


Ou estes pardais que já não conseguem reprimir os seus impulsos.....

ESTAMOS NA LUA.


 O antes, no dia aprazado, cheia de luz, a sugerir outras  grandezas.



Mais pálida, cansada de brilhar, no dia seguinte.

Deu mais de 3,5 metros de amplitude de maré, em Lisboa.
Aguas vivas, portanto.
 

11 junho 2013

GORÉE


Bucólico, estas paisagens de pastoreio.
Normalmente com o jornal do dia, ficam satisfeito(a)s


Canhão de 27 cm de calibre (?), disparado uma única vez , e com sucesso, ressalve-se, ao afundar um navio de guerra que não devia cair nas mãos dos nazis.


Portão da passagem dos abastecimentos de material de guerra, que deveria vir do subsolo mais acima.
Linha de caminho de ferro dedicada.


 Homenagem ao LOCAL DE NÃO RETORNO. Este portão simboliza a partida definitiva de Africa.





Pardais atrevidotes. Bicos de lacre, talvez. Não sei desta matéria. Mas eram mais que muitos.


Casas que se presumem ter pertencido aos compradores de escravos, ou à tal aristocracia que falei acima. Das signares....


Mais um exemplo do mesmo teor. Claro que a diferença é notória.


Balde do lixo elétrico e goto local.

SENEGAL - DAKAR - GORÉE


          The island of Gorée lies off the coast of Senegal, opposite Dakar. From the 15th to the 19th century, it was the largest slave-trading centre on the African coast. Ruled in succession by the Portuguese, Dutch, English and French, its architecture is characterized by the contrast between the grim slave-quarters and the elegant houses of the slave traders. Today it continues to serve as a reminder of human exploitation and as a sanctuary for reconciliation.
 
 
          Entre 1500 e 1800 cerca de 20 milhões de Africanos passaram por aqui; pelas piores razões.
A "casa dos escravos", tal como existe, foi construída pelos Holandeses, que desde 1580 nos faziam a vida negra.
Aqui, e com o relacionamento típico dos Portugueses de então com as jovens escravas, deixamos a palavra "signare", corruptela de "senhora", pois a jovem escrava gravida ganhava a liberdade nesta ilha de Gorée. Acabaram por ser a classe dominante da ilha. Engraçado, não é?? Imagino muitas gravidezes.....




Apesar de tentar ver estes factos com os olhos de 1440, tenho dificuldades.



 

PERSEVERANÇA



Não terá sido nada feliz, esta semente, quando aterrou neste calhau enorme. Mas soube vingar.
Arvore e rocha em ALPALHÃO.


 
Apesar das dificuldades, mesmo retorcida, lá está, como que a dizer: reparem como se faz.

10 junho 2013

RESISTENCIA


Esta fotografia foi tirada após um forte bombardeamento nazi a Londres.
Entre  mortes, feridas e entulhos , deixa a  mensagem: Estou cá!
Precisamos de gente desta, digo eu

09 junho 2013

TALVEZ RADAR, SEI LÁ


Sabemos que o radar deu em micro ondas, para nosso gáudio.
Mas pasmem, que antes de ver as coisas ( radar) tentaram ouvi-las. No começo da II Grande Guerra ( Mundial), ainda se escutava o ar, para localizar a aviação inimiga.
 

07 junho 2013

SAUDADES


Foi em 10 de Junho , do ano da graça  de 2008.
Nestes dias de largueza, encontrei o armador que não podia estar mais feliz por o possuir.


Tivemos uma velejada fabulosa, de Peniche à Berlenga, a proporcionar imagens como esta, do MAIÃO.


Nós, fazíamos o que podíamos, para navegar bonito e bem.


Navegava-se folgado, para algum conforto.

TEMPESTADE CASEIRA

 
Chuva e relva, dão nisto.
Que saudades deste cantinho.

Vou voltar.