29 junho 2007

TO BE OR NOT TO BE

Não é , ao que se saiba, (??) uma questão de ser, ou tão pouco de parecer... Eu explico: Trata-se de um problema ( recorrente no Blue Moon), e que tem a ver com a sanita e a masculinidade. Sempre que proponho um assento na sanita, na hora do xixi, recebo um coro de protestos só semelhante ao outro coro de protestos, que acontece quando peço para alguém lavar a casa de banho.... De maneiras que vou legislar por decreto! Vou afixar uma plaquinha ( que é que pensavam??) por cima da sanita, por forma a estar bem visível e a proibir o acto de pé, de joelhos, ou sei lá, de outra forma que não sentadinho da silva. Para isso pedia, aos meus queridos amigos, uma mãozinha: A única sinalética que encontrei, até agora, foi esta, da qual não gosto particularmente, dada a sua pouca expressividade. Alguém tem ( conhece) melhor??? Alvíssaras

25 junho 2007

O EMERDÁRIO DE CASCAIS

É aqui o final de tudo....

AO LARGO

Sempre assim.....

MAR DE VAGA LARGA

Não deu para cozinhar! Ainda bem, porque não havia nada!!!!!

MAR DE JEITO

É verdade, o mar estava a jeito; Então o vento, nem se fala! Certo, sem grandes saltos, a permitir velocidades médias "acima da média". Na fotografia, onde à pressa se trocou as cervejolas pelo sumo do Afonso, pode-se ver ainda a cana de pesca, onde se pescou uma gaivota....Isto vale tudo, carago!!!!!

AINDA O DIA ERA UMA CRIANÇA

Pois as surpresas ainda não tinham acabado; Definitivamente. Entre as remelas do sono e as brumas da inconsciência, algures a sul do Carvoeiro, dou comigo de caras para estes companheiros, que para mim, só podiam vir do Barreiro; Estaria eu enganado?? Depressa se desfez a ilusão, e bem mais terrena foi a resposta do Fernando Namora, quando interpelado no VHF sobre a estranheza do facto: Vamos para a Figueira, reparar para a vistoria anual...Ah, OK, boa viagem. Ia seguramente a uns 10 nózes....

DE PENICHE PARA BAIXO

Depois de uma noite mal passada, a tentar identificar os cheiros de bordo, e que iam do bacalhau podre ao queijo estragado (??) e fiambre esverdeado com raios purpura,passando pela carne picadinha de casa e do tamboril (ex)congelado, pronto para uma massada que seria de luxo. Era este o concerto de cheiros que me esperavam quando cheguei a Peniche, na 4ª feira à noite. Com a azáfama de trocar a posição das barcoletas, os nossos amigos ( pessoal da amarração) esqueceu-se de ligar o cabo da electricidade à corrente do pontão, deixando que o frigorifico derretesse as baterias e consequentemente ficasse em " baixo". E eu em alta, de nervos. Depois dos insultos da praxe, lá se sossegou, e se limpou(????) o frigorifico. De pouco valeu, mas.... As primeiras horas da manhã, apnharam-me a cheirar a cebola, o que foi óptimo para o cafézinho com pão atrasado, manteiga rançosa.... A coisa arumada, lá seguimos para o mar,depois de cuidadosamente retirar o CELTA MORGANA , ( que estava por fora do BM, de braço dado) e o ammarrar ao cais. COM A CORRENTE ELECTRICA LIGADA. Soube depois que alguém terá partido a ficha.

17 junho 2007

A BARCOLETA MAIS BONITA DO MUNDO

Na época era um gigante; perto de 16 metros. Tudo em madeira; Ambiente humido q.b. , mas sofrível. Viajou pela Europa, conheceu os importantes da época; A Rainha de Inglaterra também lá fez uma perninha. Participou na 1ª regata Torbay - Lisboa, 1956, que mais tarde seria conhecida como " TALL SHIPS RACE". Um grupo de entusiastas da vela, entre os quais um dos seus principais animadores, Dr. Pedro Teotónio Pereira, decidiram organizar uma corrida de embarcações à vela, que serviria o propósito de treinar a navegação à vela, em navios de vela, prática que tendia a desaparecer. E em Julho de 1956, 20 navios de vela largaram da costa sul de Inglaterra, em direcção a Lisboa.Das embarcações de 1956 que já não navegam, este é um deles. Infelizmente. Não foi o progresso que acabou com ele. Foi alguma incuria, e, estranhamente, a falta de cultura que o Dr. Pedro Teotónio Pereira tanto quis combater.

16 junho 2007

FIM DE FESTA

Last, but not the least, Peniche brindou-nos com um belissimo espetáculo de fogo preso; Creio que é assim que se chama.
Só não necessitava de ser tão em cima de nós; Os barcos ficaram todos sujos, pois o vento atirava com tudo para cima deles.

15 junho 2007

O PILOTO

As duas imagens ilustram bem o trabalho do piloto, enquanto pode. Incansável. Mesmo assim, mais um pouco à frente, desligou-se do sistema, e mandou-me governar....

EM VIAGEM

Costumamos dizer no Blue Moon que , quando o vento e o mar não dão para o piloto automatico, então a coisa também não dá para nós. Torna-se dificilimo cozinhar, e sem cozinha, não ha barco!!!!

NAZARÉ LARGADA

Saiu-seda Nazaré com a consciencia de se ter feito um bom trabalho. Comeu-se o que havia para comer, bebeu-se o que havia para beber ( acho eu) e lá fomos na esperança de uma velejada fácil. Começou e acabou bem, só com mais trabalho.

14 junho 2007

EXTRA LOTAÇÃO

Imagem da chegada da embarcação onde foi detectado o clandestino que a imagem documenta. Após a recepção, as autoridades determinaram o termo de identidade ao clandestino, obrigando-o a apresentações periódicas à Capitania das Berlengas. O Skipper foi punido com 12 cervejas geladas e 1 garrafa de Glennfidich. Ainda , como sanção acessória, a esperar durante 4 horas , sentado no cockpit, sem saber porquê e por quem.

CAMPO RASO

Onde se começa a sonhar com a distancia e onde se acabam os sonhos de muitos.
Nazaré.

O SPRAY DE JOSHUA SLOCUM

Fiquei espantado ao ver um spray, mais ou menos desfigurado no convés, mas um SPRAY, estacionado na Nazaré.
É um tema fabuloso, este do Spray e do seu skipper, Capt. Slocum; De facto, foi este homem que começou a aventura da navegação de recreio. Só comparável, anos mais tarde, com a construção dos Muscadets e Corsairs, na medida em que tornaram possivel a todos sonhar com o mar, de uma forma mais romantica.

NAZARÉ

Foi bom ver navios de pesca; Já de alguma dimensão , e não os botes a que nos têm habituado. São alguns " arrastões da costa" que nos trazem o peixinho bom. Nazaré está bem e recomenda-se

AS COSTAS DA NAZARÉ

Nesta sequencia, podem-se ver, de N para S, a costa que se encontra. Os da área, terão os nomes correctos; Para mim, são as voltas que a crusta terrestre deu. Ou Terra já esteve deitada, sei lá, à semelhança do Veiguinha, que Deus nosso senhor há-de ter ainda muitos anos ao pé da gente.....