26 abril 2006

AO LARGO

Já não posso dizer bonito, bonito, que levo logo com os ditos, mas reparem que assim, tudo a voar , é como as barcoletas querem andar.... E é .... coiso!
Até à proxima.

S.JULIÃO DA BARRA E A PRAIA DE CARCAVELOS

Tudo à pinha, tudo cheio, ontem....

PAREI O VENTO

Sem palavras

A BELA

È nisto que somos bons..... Lisboa, a capital Atlântica com maior numero de paquetes em visita..... Quem me dá outra capital ??

PORTO DE LISBOA

Poucos mas bons... É o mesmo, primeiro a ser amansado pelos rebocadores ; Depois, já calmo , a descansar bem amarrado, não vá o diabo tecê-las....

24 abril 2006

A partir deste ano vão começar alguns projectos como a reabilitação da Doca de Pedrouços e a reconversão da Doca do Jardim do Tabaco. Na primeira está prevista a instalação de uma marina para iates de grandes dimensões, aliada a projectos imobiliários na área do lazer, o que resultará num investimento entre os 200 a 300 milhões de euros, adiantou Manuel Frasquilho, presidente da APL.
Em relação à Doca do Jardim do Tabaco, em Santa Apolónia, será construído um novo terminal de cruzeiros e uma área de comércio e serviços, avaliados em 45 milhões de euros.
Alcântara e Doca de Santo Amaro serão outras zonas que irão sofrer alterações profundas, com o intuito de melhorar a evolução previsível de tráfego. Só no primeiro trimestre deste ano, o Porto de Lisboa aumentou 133 por cento o embarque e desembarque de passageiros. No total, a APL prevê investir mais de um milhão de euros, só em 2006. O projecto terá a sua versão final em Novembro, quando será apresentado ao Governo, e incluirá a participação de várias entidades, concessionárias e municípios.
~Desconfio que vamos ter mais contentores na Av. de Brasilia....
E o turismo a adorar o exotismo, ao ser descarregado em paletes, por cima dos contentores; Isto com os bares e discotecas no meio ( dos dito).

21 abril 2006

DESERTAS

O “Desertas” era um cargueiro ex-alemão, de nome “Hochfeld”, de 3700 tons e 112m de comprimento, que fora apresado no Funchal, onde se refugiara quando Portugal era neutral. Estes e outros apresamentos idênticos foram um dos motivos que levaram à declaração de guerra da Alemanha a Portugal, em Março de 1916. Depois do encalhe, não tendo sido possível safar o navio para o mar, foi decidido realizar um trabalho que teve tanto de complexo como de... insólito: abrir um canal com 900m de comprimento entre o mar e a ria, rebocar o navio ao longo dele e continuar o percurso até à Barra, mediante dragagem do que ficou a chamar-se “canal do Desertas”. Tudo isto foi uma odisseia que se prolongou até 1920 e ficou na memória das populações ribeirinhas durante duas gerações. Posteriormente, em 1921 foi comprado pela Companhia Colonial de Navegação, passando a chamar-me “ MENDES BARATA”, 1927 sucata. Este navio representa de certa forma, a participação das gentes de Aveiro na 1ª Guerra, pois consta (?) que o DESERTAS foi bombardeado, por um submarino alemão, com tiros de canhão; A resposta foi dada pela Aviação Naval Francesa, ao tempo aquartelada em S. Jacinto; Mas claro, de verdade , verdade, só o DESERTAS mesmo. Na outra fotografia, alguns tripulantes do navio, parecendo-me o Cap. o primeiro.

17 abril 2006

Pavé de lotte à l'échalote et au beurre demi-sel ou TAMBORIL DESPIDO

Do meu prestimoso e sempre atento amigo Zé Silva Pereira, esta fantástica experiência. Isto é TAMBORIL, deve ser bom, mas mexer no bico..... Mas a receita é como segue:
Pavé de lotte à l'échalote et au beurre demi-selL'harmonie des saveurs.Ferme et fondant à la fois, ce pavé de lotte, savamment relevé, sait à merveille se distinguer des effluves dégagés par les champignons qui l'accompagnent.
L'ensemble forme une harmonie qui vous ravira.
Les ingrédients pour 4 personnes :
· Lotte de 1,2 kg ou 800 g de filet de lotte
· 1 livre de champignons de Paris
· 150 g de ventrèche
· 200 gr de pâtes Linguine
· 1/2 livre de pomme de terre, type rate
· 150 g de beurre demi-sel
· 100 g d'échalotes grises
· 4 gousses d'ail
· 1 piment d'Espelette
· Sel, poivre et persil plat.
1) Préparation des ingrédients
Nettoyez et coupez grossièrement les champignons.Découpez la ventrèche en petits dès.Hachez le persil, épluchez et émincez les échalotes.
2) Cuisson de la garniture
Dans de l'eau salée, laissez cuire les pommes de terre avec leur peau une vingtaine de minutes. Pendant ce temps, faites revenir les champignons et les gousses d'ail dans 50 g de beurre. Faites revenir la ventrèche à part, puis incorporez-la aux champignons. Saupoudrez d'une pincée de poivre et ajoutez un peu de persil.
3) La préparation de la lotte
Enlevez la peau de la lotte, puis levez les filets.
4) Cuisson de la lotte
Dans la poêle ayant servi à cuire les champignons, mettez le piment d'Espelette, puis faites dorer la lotte sur ses deux faces, 4 à 5 minutes, avec ce qui reste de beurre demi-sel.
5) Fin de cuisson
Rajoutez les échalotes, les pommes de terre, cuites à l'eau et laissez cuire la lotte entre 3 et 4 minutes de chaque côté. Já repararam que apanhar um tamboril a falar francês, vai ser o xico dos pipos, mas pode ser! Depois é fácil.... Toujours en avant, jusque au bout de l'alcatrron.... Allez

15 abril 2006

A NAVEGAÇÃO DE AMANHÃ

Na próxima NAUTICAMPO, lá estaremos para ver este e outros modelos, sempre engenhosos e económicos; Talvez seja esta a vertente mais apreciada por todos quantos queiram ir por esse rio acima.....

13 abril 2006

A TEORIA DAS MARÉS - CONTINUAÇÃO

Afinal as minhas teorias caem por agua abaixo; As marés já se tornaram uma obsessão nacional ; E o tempo urge; Os académicos dividem-se.....

05 abril 2006

A TEORIA DAS MARÉS

Mais um subsidio, igualmente elucidativo, da questão das marés; Preocupante é o facto de só se ver agua a "fugir". Os cientistas calculam que a este ritmo, só teremos aguapara mais 258 marés; Pois, ou ela começa também a encher, ou estamos`a mingua....

03 abril 2006

AO ABRIGO

E é de regata que se trata; Até que estava a correr bem; Com simétrico e com algum vento - O Blue Moon precisa de um ventito para abanar aquelas toneladas a mais - a coisa estava composta; Até o dito decidir ir embora; Ficou o amargo da desistencia, mas , como se diz, de caldeirada é mais fácil...
Fomos o ultimo a desistir; Há que ser perseverante;
No rosta da tripulação, a ansiedade pela espera do vento.

CROMATISMO MARITIMO

Fica o meu espanto; Não é que não fosse de esperar uma coisa destas, porque malucos há em todos os lados..... Fica a novidade. E não é que resulta ?

SALA ALMADA NEGREIROS

Panoramica da bonita sala da Gare Maritima de Alcantara. De tão má memória para tantos; Outros nem por isso.

É SÓ DAR-LHES TEMPO

O ESTENDAL

Depois foi só secar....

DA COVA DO VAPOR A CAXIAS

Em algumas zonas do rio, a agitação era mais que muita.... Numa barafunda à proa, " à cause" do balão, com a escotilha de vante aberta, embarcámos o equivalente ao beliche da proa cheio de água..... E claro uma molha até bem para lá dos joelhos.....

O BREAK-A-LEG

O Break a leg a colocar-se À popa do meu fora de borda.... Ahoy, meu rapaz, ahoy....

AVÉ MARIA

Momento em que o Blue Moon se colocou à frente do AVÉ MARIA; Sem apelo nem agravo; Depois na regata foi diferente, mas estivemos lá!

REGATA DOS PILOTOS DA BARRA

Este fim de semana foi de regatas; Sábado, a dos Pilotos e Domingo da Escola Nautica! Em grande, para este meu corpinho danone, pouco dado a estes trabalhos, e ainda por cima a ração de combate! Assim não vale! Nestas fotografias o Xico Marques e o Correia Nunes a discutir a evolução da mosca do cavalo, e as implicações nas ostras de Xabregas.

BARCO DE 1 CANO AO FUNDO

Parece que temos mais uma carga de trabalhos na área do Porto de Lisboa - Doca do Espanhol . Um antigo navio (?) adaptado a restaurante, foi-se por ali abaixo, deixando antever na maré vazia, uma amurada.... Ou será já a marcação das posições para os contentores???