27 outubro 2005

O RATING VOADOR

Por favor, mantenham as distâncias de segurança.....

DEITOU-SE PARA NÃO MAIS SE LEVANTAR

Nunca vamos saber se teria mais algum préstimo, ou se até poderia ser vendido, dando algum retorno à rapaziada cá do burgo. Mas não; Quis o que quer que fosso que o "PONTA DELGADA" - assim se chama o navio - acabasse os seus dias adornado. suportado pelo cais; Já foi garboso, nos idos tempos de 70 do século passado; Vomitório publico para alguns, quando o mar dos açores o fazia baloiçar um pouco mais. Houve tempo em que era a única forma de passar de uma ilha para a outra....

26 outubro 2005

NOVO AEROPORTO DE LISBOA

E, como que a anunciar-se, eis que nos aparece , vindo de nenhures ( esta deita todos a baixo), o novo aeroporto de Lisboa, versão "LOW COST"! Será??? E onde é??

24 outubro 2005

O DAY AFTER

O dia seguinte, que seria o Alhandra - Belém, nasceu assim, branco, que não se via um palmo À frente do nariz..... Claro que com este tempo, vento nem vê-lo, e assim, viemos todos coladinhos uns aos outros, depois de convenientemente se anular a regata, de forma a tentear o fundo, que a coisa não era para brincadeiras.... Correu tudo bem, e chegámos a Alcantara sur Mer dentro da hora prevista; O Xana ligou de imediato o Evaporador de particulas e comemos um bom rolo de carne e as cervejolas da praxe- até acabarem.!

A QUINTA DA SUB SERRA E MAIS A VISTA

Não imaginam a cara com que se fica, ao deparar-se-nos este espetáculo de luz, diante dos nossos olhos.....

O FRANCISCO ALBINO

Momento em que o Francisco Albino explicava o funcionamento do seu motor, ou em como chegar primeiro.....

AO LONGO DAS MARGENS

Foi garantida a assistencia ao longo das margens do Tejo; Nem sempre com a melhor das atenções....

´BELÉM - ALHANDRA - BELÉM - A SUBIDA

Foi sempre uma regata bonita de se ver; muito tempo de SPI, a alindar o rio, e depois o ventito "QB" para se chegar sem muitos transtornos. O Chico Albino continua com o melhor motor da frota ( não faz fumo) e assim vai a vida. Chegou-se com 3 horas de regata.

REGATA BELÉM - ALHANDRA - BELÉM O INICIO

Inchado de tão airoso, o Blue Moon fez este fim de semana uma saída para o rio, ( deste vez foi rio) e subimos em regata até Alhandra, essa bela localidade, com o seu castelo altaneiro....; Mas mais a sério , fomos, como aliás é apanágio daquelas gentes, excepcionalmente recebidos, com um carinho tão natural, que nos desarma, por mais prevenidos que se chegue lá; Lembro-me de um dos directores do club Náutico, a quem eu chamava o " BOMBEIRO", e que , sem se desmamchar me foi corrigindo; Esse amigo é também um profundo conhecedor das coisas do mar, apesar de ser lá do rio; Rio e região que tem muito a ver com a nossa terra, Ilhavo e Aveiro; E ainda há muitos cagaréus em alhandra..... Lá se encontram as bateiras da ria, já por vezes alteradas, mas com a trça original bem há vista. As fotografias retratam o inicio da prova

20 outubro 2005

SANTA MARIA MANUELA

Ainda o SMM, já na água, fotografia do Veiguinha, tirada em AVEIRO -ON - SEA. Vendo sómente o casco, parece um trambolho, ou pouco menos! Isto apesar da inegável qualidade do traço; Mas não deixa de ser um capado! Há uma fundação com o nome do navio, e que visa, entre outras coisas, a sua reconstrução; E se nós todos dessemos uma ajuda?? pequenina que fosse? Fazer com que deixe de ser trambolho?? Espero por todos

19 outubro 2005

SANTA MARIA MANUELA

O Blue Moon I deu com o Santa Maria Manuela em fabricos, em Aveiro; O casco está, ao que parece óptimo; Falta todo o resto, um não acabar de coisas ( dinheiro). Conheci bem o SMM na sua segunda vida, já só com motor, sob o comando do Capitão Xico Corte Real, a pescar nos bancos da terra nova, onde me perdi algumas vezes nos petiscos e tintóis dos seus paióis . Boas vidas; O João Alberto é que não gostava nada destas touradas....

TAGLIATELLI À MANA

Deixo aqui, tout court, a mensagem que o Veiga me enviou: Esta é da minha maninha que, quando está bem disposta faz umas barrigas de freira deliciosas e uns papos de anjo divinos. No entanto, como tratamos aqui de receitas faziveis a bordo, ficam os doces para outras alturas mais terráqueas. Este tagliatelli ensinei-o ao nosso Arrais de Gaivotas, 2º grumete arvorado de cozinha, que a preparou na baía de Corcubion, numa noite de Julho de 2001, que lá passamos fundeados. Reza assim para quatro garfos bons: Numa frigideira com o fundo com bom azeite deitam-se duas cabeças de alho esmagado, 200 gramas de bacon cortado às tiras rectangulares, 200 gramas de cogumelos e temperos a gosto, dos quais os oregãos são essenciais. Quando tudo estiver aloirado juntam-se natas frescas, um quarto de litro, e queijo ralado, do que mais gostarem, para meu gosto quanto mais forte o sabor melhor. O Tagliatelli coze-se ao lado, de água e sal, 'al dente'. Quando estiver cozido mistura-se a nhanha com o tagliatelli e serve-se tudo misturado. Ahhh, muito importante é a questão da poncha. Prepara-se previamente, ver receita neste blog, enche-se um copinho e passa-se por cima da fritura com cuidado para não enverter, uma vez de bombordo a estibordo e duas em sentido inverso.
É importante que os aromas da poncha passem para a fritura, mas só os aromas. A poncha pode e deve beber-se enquanto tudo apura.

18 outubro 2005

ESPARGUETADA DE ATUM

Do nosso inefável MMMMMMMMBAS do VERONIQUE, quiçá de Aveiro ( para abreviar), cá vai mais uma das suas travessuras de cozinha, que vos digo eu que já dei cabo de algumas, são deliciosas! Esta fotografia serve, para além de demonstrar da qualidade das loiças e paramentos tacho-lúdicos do departamento de cozinha e ofícios correlativos da graciosa barcoleta BLUE MOON I, de demonstração cabal da felicidade estampada na cara do graduado,ao poder ser util a esta cambada de bons penitentes. Bom, mas a receita original está aqui; Apenas se tomou a liberdade de substituir alguns termos que no original aparecem em "galaico cxxxxlhês", por palavras de uso mais corrente; As minhas sinceras desculpas ao autor, mas, blog oblige....
RECEITA:
Esta receita, que já provaste a bordo do Blue Moon, aprendi-a em Utrech, na pisaria 'La fontana', onde o meu querido e saudoso amigo Golias, mais tarde emérito juiz, trabalhava na altura, lavando pratos e xxxendo o vinho todo ao italiano. Numa frigideira fritam-se duas cebolas grandes em bom azeite, com alho e pimento cortado aos cubos pequeninos. Quando estiver quase frita a cebola, cortam se lá para dentro dois tomates grandes, previamente pelados, aos bocados. Quando a nhanha estiver espessa, baldeiam-se lá para dentro duas latas de atum, sem o respectivo azeite. Desfaz-se o atum. Baldeiam-se então dois ou três ovos inteiros (sem a casca) e mexe-se vigorosamente para para o ovo emulsionar toda a nhanha. O esparguete coze se ao lado, até 'al dente', de água e sal. Serve-se separado, sendo que cada um mistura as quantidades que quizer. O pormenor do champanhe é importante: Enche-se uma flute de bom champanhe bruto, passa-se por cima da nhanha uma vez de proa a popa e duas em sentido inverso, malha-se o champanhe sem deixar verter uma só gota fora das nossas bocas.

17 outubro 2005

ATUM À LA KIMBANDA

Do armador do KIMBANDA, que em Kimbundo significa "feiticeiro”, aqui vai mais uma receita do Grande Atum em lata; É preciso ter lata, não é??? Aqui vai uma refeição ligeira “ à la KIMBANDA” Uma boa receita, fácil, de pouco “chiqueiro” de tachos e usando a “galinha do mar”. As doses são à vontade de cada um e medidas na base das latas de atum. Esta é para 2 pessoas que comem razoavelmente bem, 1- Num tacho coloca-se a refogar uma cebola grande ou duas com um pouco de azeite. 2- Deixar alourar um pouco a cebola mas sem a queimar, ficar somente transparente. 3- Duas latas de atum, do qual se escorre muito bem o azeite delas. 4- Deita-se o atum dentro to tacho, mistura-se muito bem com a cebola e deixar refogar mais um pouco até a cebola desaparecer. Nesta altura e para disfarçar, juntar picante, à vontade do Comandante, um pouco de caril em pó e, quanto for necessário de azeite mas virgem ( ao gosto e segundo a escolha do Comandante mediante as medidas apresentadas e testadas). 5- Num tacho à parte, coze-se massa, 300 gramas, que pode ser esparguete, “fussiles” ,cotovelos ou outra qualquer desde que não seja muito miúda. O esparguete deverá ser partido aos bocados. 6- Colocar a massa já cozida dentro do tacho do atum, deixar cozinhar um pouco para ficar bem misturado e bem quente, juntar mais azeite ou um pouco de água, natas ou leite, se estiver muito oleoso e seco, uns pimentos de conserva encarnados( facultativo). 7- Afinar os temperos, principalmente o caril, picante e o sal. Por último, servir generosamente, colocar pão na mesa, regar generosa e copiosamente com um bom branco muito fresco e leve (não alentejano). De seguida, café e delicias de Portimão, Whisky “double malte” sem gelo e um bom charuto que poderá ser cubano.

15 outubro 2005

OS INTOCÁVEIS

São o que de Melhor se fez em construção naval.... Os desenhos de hoje, se bem que mais praticos, não têm esta beleza ( que o tamanho ajudava a dar) de linhas, fluidez a dizer andamento rápido,-Qual Veronique - e senhores de muito conforto no mar, ao contrario de hoje. Podia-se ter alguma coisa cá por Lisboa, não fosse a cegueira endémica dos senhores que têm calhado na rifa ao Porto de Lisboa . Estes barquinhos são normalmente navegados no verão, para gáudio de todos os que por eles passam os olhos.... Oferta do Nosso GLOBETROTTER de serviço, o meu compadre Zé Pais.

11 outubro 2005

O FURAQUINHO

Foi assim, sem mais nem ontem, que o "nosso" Vince passou por cá, sem passar. Que vá em paz, e sobretudo não volte, que a nossa Protecção Civil ainda não chegou a este capítulo.

O IATE(ZÃO)

Esta bucólica cena passa-se em CANNES, e o bicho que aqui placidamente pasta, foi observado pelo meu compadre Zé PAis, quando andava em trabalhos por aquela zona; Trata-se com certeza da bandeira do mar ( Madeira) , mas na mesma lamentável pois vem quilhar as estatisticas sobre o nivel de vida dos Portugueses.....
Bela Barcoleta, talvez tão graciosa como o Veronique, quiçá o Blue Moon I

FALUA

Uma falua lá vem, lá vem, Diz o Veiga, do alto do seu livro que tem lá em casa e que resolve isto.... Mas deixemos isto para os peritos (?)

VINCE O TERROR DAS CARAÍBAS

Pois, já sei que vão dizer que é a versão soft, que foi feito só para nós, e os mais aguerridos vão com certeza atirar com um despejo de Cuba, ou algo assim.... Mas reparem na volta deste menino(?) : Cabo Verde, Antilhas ( fica bem) e agora Europa( tinha bilhete de ida e volta); Além de ser O primeiro da década, foi o primeiro do Século, para não falar do Milénio.

10 outubro 2005

O DEFUNTO OU A VÃ ESPERA

A vida tem destas coisas...... Imaginem o quanto este este fulano secou de esperar; O MMMMBAS do Veronique sabe o resto da história. Esperamos pelos proximos desenvolvimentos,

A CANOA DE LISBOA

Esta bela canoa, com o pano bastardo ( latino) navegava ha pouco para o sul, creio que em frente ao Meco, ou por aí..... Vamos deixar aqui uma questão.... Chamei a esta embarcação canoa; Será?? Espero as sugestões ,

Bacalhau à CARMEN PIÑON

Do AMIGO e mmmmmmbas(?) do Veronique, mítico veleiro da nossa praça, o mais belo veleiro do...... Este fim de semana descobri uma escritora brasileira, Nélida Piñon de sua graça. O Verão passado, em Ponteareas, na Galiza, conheci uma senhora brasileira, que se não era esta escritora, era Jezebel por ela. De qualquer forma, a meio da entrevista, descreveu a forma como a sua mãe fazia o bacalhau, que me chamou a atenção. Chama-lhe bacalhau à Carmen Piñon, a sua mãe, e é muito parecido com o nosso bacalhau abanado. Recomendo a experiência. A diferença para o 'abanado' é que o azeite é previamente aquecido com o alho esmagado, antes de se baldear para dentro do tacho, com os mesmissimos ingredientes do 'abanado', acrescidos de pimento cortado aos cubos pequeninos e de corintos, a gosto. Sem agua também. Claro que o copo de gin é imprescindivel, passado de bombordo a estibordo uma vez e duas em sentido contrário, e bebido de seguida sem entornar nenhuma gota fora da boca

05 outubro 2005

COSTA NOVA E OS VOUGAS

Serão sempre um ex-libris da bonita praia e terra que é a Costa Nova; A classe VOUGA nasceu porque parece que havia algumas pessoas da região com garagens iguais, ou pelo menos muito semelhantes; Série de 4 fotografias enviadas pelo Batelzinho ( eng. Batel para todos os não intimos), lidissimas a deixar saudades.....

02 outubro 2005

O CAPITÃO FERREIRA

Encontrei esta fotogtrafia, que me foi oferecida em tamanho gigante pelo amigo Arsénio Nunes, também ele com um pézito sempre dentro de água.
Este navio(zinho) comportava 54 pescadores, 2 oficiais de ponte onde se incluia o Capitão, 6 homens na máquina , 3 cozinheiros, 3 moços , um empregado de messe, carinhosamente o gamelas CALDAS ( uma jóia) 1 enfermeiro e um cão ; A todos era requerido uma boa dose de insanidade mental : A uns mais que a outros, mas a vontade era tamanha, que só uma vez me recordo de ter descarregado um motorista em St. John's NFLD, após 23 dias de viagem entre Alicante e o dito porto do canadá; 23 dias que o senhor em questão passou deitado a vomitar e a chorar o que tinha e o que não tinha.....
Se me conseguirem dizer ( adivinhar) onde cabia esta malta toda.....
Para que nunca me esqueça, deixem-me que lhes diga que não havia uma única escada com esse nome no navio; Todas elas eram uns ferros na perpendicular...... Durante a faina da pesca e a navegar , o cão subia-as todas - na horizontal ou quase...... E não era artista de circo .... as escadas é que se deitavam , como tudo o resto; E assim o cao passeava por todo o navio!