27 setembro 2005

Bacalhau Abanado

Do nosso muito querido João Veiga, o mais famoso dos bacalhaus.... O ABANADO...... ......Era a forma como a minha mãe preparava mais vezes o bacalhau nos tempos que ainda morávamos em Ilhavo. Mais tarde, já em Aveiro, e porque sempre arranjavamos bom azeite da Beira Alta, a saber a azeitona, era também como se preparava o bacalhauzinho. Saboroso e fácil de fazer. De a gente se rechupar toda. O truque, como em quase todas as receitas que faço, é ZERO de água. Num taxo governadeiraço, chapa-se cebola às rodelas, uma por posta de bacalhau, batatas às rodelas, duas por posta, muito alho, duas folhinhas de louro, picante a gosto, uma colher de pau pequenina de pingue, cuidado com o sal, e as postinhas de bacalhau, uma por moinante. Deita-se tudo às camadas e em cru. Rega-se abundantemente com azeite da melhor qualidade. Tapa-se e deita-se ao lume, primeiro forte e depois muito ligeiro, abanando sempre com o taxo tapado. Nem uma gota de água , não sejam estrampadeiros. Muito importante é o vinhinho branco. Enche-se um copinho de cagulo e passa-se por cima do taxo, quando este estiver a ferver, uma vez de popa à proa e duas em sentido inverso, sem baldear uma só gota do vinho no taxo. Depois escorripicha-se o copinho aproveitando os aromas exalados.

ZITONI IBÉRICO A LA FLAMINGO

Da SEGUNDA melhor tripulação do mundo ( QUE É QUE ESPERAVAM????) veio esta maravilha, que a meu ver, tem que ser apreciado rapidamente, e em sede própria. Mas vamos aos escritos: -----------------------------------
Louvamos, com prazer e apetite, a iniciativa de publicar magnificas receitas neste fantástico blogue do nosso Guia Espiritual, o cmdte. Angelo. Todavia, nós, os tripulantes do Flamingo, embarcação modesta quiça, mas esforçada, interrogamo-nos sobre a exequibilidade da preparação destes acepipes em mar aberto, com os tachos a caírem da minúscula bancada, o fogão a dançar o samba, os temperos a darem sabor ao soalho, as cabeçadas, etc. Assim, propomos uma receita minimalista para os navegadores em “classe turística”. Ingredientes para 3-4 pessoas: · 300 g. de massa (fusilli tricolore ou outra qualquer) · 1 tortilha pré fabricada. · 2 latas pequenas de cogumelos cortados. · 1 pacote pequeno de natas · azeite qb. · 2 malaguetas · sal e oregãos qb. · Numa panela marítima cozer a massa “al dente”-5 a 8 minutos (não esquecer de esperar que a agua ferva e de acrescentar sal a gosto). · Numa frigideira pequena deitar 2 colheres de sopa de azeite e deixar aquecer. · Cortar a tortilha aos pedaços e escorrer os cogumelos. · Deitar os pedaços de tortilha, os cogumelos e as natas e deixar cozinhar um pouco. · Numa terrina marítima deitar a massa escorrida e a mistura da frigideira e mexer bem. · Servir em pratos de sopa, para não entornar. Como remate, para quem tem essa sorte, pode acrescentar-se um belo sorriso da skipper de serviço.
------------------------------------------------------------------------------------------------ Glossário: Panela marítima: Panela anti-aderente, com tampa perfurada para facilitar o escorrer que se compra nos supermercados por meia dúzia de Euros ou nas casas de aprestos marítimos por um balurdio. Terrina marítima: Terrina de plástico resistente ao calor que se adquire nas grandes superfícies por poucos Euros ou nas casas de aprestos marítimos por uma fortuna.

25 setembro 2005

A MINHA TERRA

Esta fotografia foi-me enviada pelo meu Compadre ZÉ PAIS, sempre muito atento ao que de belo vamos tendo; Aqui a deixo para deleite de todos ( de café???)..... Gosto particularmente de ser do meu rio, da minha ria, do meu mar e da minha terra....

24 setembro 2005

O OLEÂNICO GERMÂNICO

Diz quem sabe: Para que as fotografias tiradas a seguir ao almoço fiquem com as cores, nitidez e realce necessários, recomenda-se uma beberragem, de origens manhosas, quiçá germânicas, de cor escura e viscosidade oleanica, um cálice apenas, e de resultados inesperados.Em alternativa a poncha, essa de resultados surpreendentes sobre a qualidade das fotografias e dos discursos sobre direito corporativo, optima para inchaços, unhas encravadas, penariços, bicos de papagaio, queda de cabelo, perda de apetite, sexual e boqueiro, enfim, uma autentica panaceia, que, para além das optimas fotografias obtidas, proporciona um discurso fluido, adjectivado e coerente.Ver receita uns posts abaixo.
Esta deliciosa imagem, documenta o momento em que o autor destas tão sábias palavras, aterrou no bico da proa e por lá ficou prostrado pelas primeiras cem milhas de navegação.... APÓS O OLEÂNICO GERMÂNICO......

GRAND FINAL

Imagem bonita da barcoleta Blue Moon I a regressar à doca de Alcantara, ao anoitecer ; Já se vinha a motor, com corrente muito forte contra (maré de lua) , e o vento nada ajudada de tão pouco ; Repare-se no outro exemplo só com a grande "adriçada " ....( este termo aprendi com o meu filho....) ; Fotografia cedida pelo capitão do GALP MARINE , navio em operação em Lisboa com o Cmdt Consciencia Martins, que quis assim guardar a nossa imagem ( pra quê??) e se calhar reinar com isto.... Obrigado ao Capitão Martins, meu antigo interlocutor dos 2341......

21 setembro 2005

VELAS NO RIO

Foi bonito de ver, e uma das melhores regatas em que já participei; Os comes estavam muito bem organizados, as bebidas fresquinhas como se querem, e até nem precisávamos de ir buscar, porque havia sempre uns fulanos muito solícitos a perguntar :" Não quer mais um bocadinho?"
Foi óptimo! E deram-me um saco e uma tixârte!! Ora toma e vai - te lavar.....
Desgosto é eu não saber tirar fotografias, se bem que foram tiradas depois do almoço.....
Mas também tivemos momentos bonitos, como aqui se pode ver por esta tão singela fotografia; Ela mostra, aliás, o momento em que era declarado solenemente " BAR ABERTO " - à semelhança e imagem do que aprendi com o meu mentor , o BAS(?) MBAS(?) do Veronique; Tinha-se atingido a vertiginosa velocidade de 4 nós, facto que precedeu a nossa apoteótica desistência, que com certeza será inscrita nos anais da vela desportiva de Lisboa.....

REGATA FORUM ALMADA

Esta é a imagem da popa do Blue Moon, e da azáfama que por lá pairava....
Foi durante a regata " Forum Almada" que eu estraguei esta fotografia ( ainda hoje não sei como tirei isto), regata essa onde o Blue Moon I teve uma actuação brilhante, chegando à desistência muito mais rápidamente que a maioria dos veleiros .....
Foi assim como assim uma desistência extraordinária, brilhante conjugação da estratégia escolhida, ( aindo hoje digo que aquela carne merecia um branquinho fresquinho, mas enfim...), com a mãe natureza, que nos enviou ventos a andar às voltas, e depois vento sem vento, que foi uma gaita! E o blue Moon quilhou-se!

20 setembro 2005

A PONCHA DO VEIGUINHA

Na impossibilidade de conseguir uma fotografia que refira à receita de hoje, publico antes uma fotografia referente aos efeitos da dita.........
Dito por quem sabe da poda, (P) é como gasolina de avião..... Pois então, meus caros tenham cuidado com a dita, que o blog não assume responsabilidades por danos causados após o tempero das comidas com tão guloso molho...
Não vos tinha dito que a poncha é só para o tempero??? Pois é, só para isso: estão recordados doas passagens de NNE para SSW (2) etc.... e depois não entornar nadinha???
Pois é para isso! Se beberem o molho , não o entornem..... --------------------------------------------------- Do João Veiga, Poncha Ingredientes: Sumo de 2 limões ¼ l de aguardente branca de cana 3 colheres de sopa de mel Modo de preparar: Num recipiente, deitam-se o mel e o sumo de limão. Misturam-se bem com um mexilote (pau de poncha). Depois junta-se a aguardente e volta-se a misturar muito bem.

19 setembro 2005

POSSIDON

Falei não há muito sobre alguns "clássicos" que deveriam ser apadrinhados e até de alguma forma , poderem gozar de um estatuto especial, desde que se mantivessem em forma de navegar; O meu vizinho em Alcantara, o Prof. Granger, um ENORME atleta e ainda maior homem, tem uma embarcação dessas, que aqui é reproduzida; Bonita como poucos ( lembro-me do Veronique) , este Possidon, construido creio que na Holanda, já terá uns bons 70 anitos... Na imagem, o Prof, manobra com a companhia de um amigo de infancia, e negoceia o pouco espaço para sair para o rio. Bons ventos prof.

ROLO DE CARNE

Da responsabilidade do Xana Vitorino, o incansável imediato do Blue Moon, esta carne é fantástica tanto no sabor, como na rapidez e facilidade de preparação; Requer, isso sim o difusor de particulas em boas condições.....

Cá vai o segredo, tal e qual como o li:

Rolo de carne para 3 pessoas meio quilo de carne picada 2 dentes de alho pão ralado 1 ovo queijo mascarpone mostarda sopa de rabo de boi vinho branco 1 cebola pequena Numa taça misturar tudo muito bem a carne, o queijo mascarpone ( + -100 gr ) os 2 dentes de alho partidos, a cebola picada, um pouco de mostarda a sopa de rabo de boi ( em pó +- 50 gr ) e o ovo. Numa tábua colocar o pão ralado e fazer um rolo com a mistura, colocar num tabuleiro para ir ao forno e regar com o vilho branco. Colocar no forno previamente aquecido e regar o rolo de vez em quando com o vinho.

Acompanha com tinto do Alentejo, que se saiba À altura destas lides....

O nosso querido amigo ( e mentor deste blog) Joao Veiga, diria que lhe falta a cervejinha, com passagens sucessivas de NNE para SSW, (2 voltas) e o inverso 1 vez;

O DIFUSOR DE PARTICULAS

Em todas as embarcações, os equipamentos de navegação, muito para além da sua manutenção normal, gozam dos "carinhos" de alguns dos tripulantes; Repare-se no ar embebecido com que o imediato verifica a posição no Difusor de Particulas , em complemento ao GPS e à observação do meio dia, que tinha sido às 1130.

FOGO DE ARTIFICIO NO TEJO

Estivemos na noite de sábado no meio do rio, com a ajuda deste bom tempo, a testemunhar este belissimo espectaculo, na companhia de bons amigos ;Pena é que as fotografias fiquem com este aspecto de parkinson, mas conta a esforço.......

16 setembro 2005

O ARMANDO SEM MEIAS - JULHO DE 2004

O interesse desta fotografia é meramente histórico ( para o Armando Martins e para quem o conhece ) , e explica-se em 2 palavras ( ou 3):
O Armandinho NUNCA tinha tirado as meias ( às vezes chegava a andar com elas uma viagem inteira - ele trazia 1 par para a viagem , quer fosse 1 dia quer fosse 5 dias ) , e quer tenha sido por vergonha, ou até por algum prazer escondido no sapato, resolveu-se a tirar as ditas, para grande alegria da equipagem do Blue Moon, e que se saldou por esta bela fotografia, onde até se lhe perdoou o pé em cima da mesa do convés....

15 setembro 2005

BIFES DE ATUM, bife de mar calmo

O meu querido João Veiga, incontornável CHEF da Armada do TACHO, e BAS (MBAS) do VERONIQUE, receita-nos para os dias com mar calmo - para a frigideira ( sertã) não fazer estragos estes bifinhos de que ele conta: Esta é do meu Amigo Ricardo Aguiar, madeirense de sotaque carregado, dos melhores marinheiros e cozinheiros de que há memória. A receita dou-vos com as falhas que resultam dele nunca ma ter dado completa, tem uma dose de imaginação minha, e dou-vos numa versão dobrada, já que me foi transmitida em madeirense e vo-la transmito em português: O atum deve ser muito fresco. Cortam-se os lombinhos do atum sem espinhas e faz-se uma marinada com muito alho picado, sumo de limão, um calice de conhaque, um pouquinho de colorau, oregãos, sal e picante a gosto e um fio de azeite. Descansa na marinada duas horas. Fritam-se os lombinhos em azeite da melhor qualidade e acompanha com batatinhas porqueiras versão light (ou, se tiver tempo, a versão completa) Muito importante a poncha. Prepara se com meia hora de antecedencia, poe-se um copinho com a poncha e , sem verter gota alguma, passa se por cima da fritura, uma vez de NNW para SSE e duas de SSW para NNE. Bebe-se de seguida a poncha aproveitando os aromas que exalam a essa altura da sertã.Receita da poncha??? fica para próximas navegações

A VIDA DEVIA SER SEMPRE ASSIM

Como este fim de tarde, bonito,.... sem correrias; Não há receitas de culinária, mas há imagens que valem por muitas palavras....... Vejam esta bela imagem do Veronique e deliciem-se

13 setembro 2005

Polvo Tomilhado do João Veiga

Disse-mo o Veiguinha: Esta herdei-a da Dª Palmira, Grande artista do que foi o melhor restaurante do mundo, quiçá de Oliveira do Bairro. Eu próprio já a fiz várias vezes, sempre com excelentes resultados. Coze-se o polvinho inteiro, de agua e sal, de preferencia à pressão, 30 minutos. A quantidade dependerá dos 'garfos', obviamente. Depois de cozido retira-se das aguas e corta-se aos bocadinhos. Frita-se de seguida em azeite de boa qualidade, com muito alho picado, picantes e sal a gosto e, fundamental, tomilho. Acompanha com batatinha porqueira versão light. Ah, duas coisas, 1º é fundamental o vinho branco. A forma de aplicar, não sendo complexa, é de extrema importância: Enche-se um copinho de vinho branco e, enquanto o polvo frita, passa-se o copo por cima do polvo, uma vez à vante e duas à ré, com o cuidado de não entornar nem uma gota. Bebe-se de seguida o copinho, aproveitando os aromas que por essas alturas já devem exalar da sertã. O 2º ponto fundamental é a receita light das batatinhas porqueiras. Mas essa fica para próxima navegação.

A 30 GRAUS DO VENTO

Vamos bem chegados ao vento, que escasseia Fotografia no Rio Tejo, com proa de SSW

OVOS MEXIDOS À MANEIRA.....

Era este o termo “ à maneira” que um cozinheiro que trabalhou comigo, utilizava; Sobretudo depois das 1100 da manhã, que era a altura em que ele voltava ao estado do dia anterior..... Mas a receita é a seguinte, e não é dele, mas sim de uma fulana dos EUA : Ingredientes: 1.- 4 ovos 2.- 1/4 chávena chá leite 3.- 1 colher de chá de sal grosso 4.- 1 colher de chá de pimenta preta em grão ( ou menos – deve ser a gosto) 5.- Salsa picada pouco, só para gosto A forma: Mexer bem os ovos o leite, e juntando o sal e a pimenta (?), utilizando um garfo Na frigideira ( teflon de pref. ) previamente aquecida, deitar a mistura e deixar cozinhar, mexendo sempre; está pronto, quando não houver liquido. Eu gosto muito de um bom azeite ( imprescindível, hoje) e por isso, costumo por um pouco do dito na sertã ( como se diz na minha terra) Agora é só comer...... Quero saber como é que fica...... experimentem – Eugénio, força!!!

12 setembro 2005

BATATINHAS PORQUEIRAS - O céu à mesa.....

Já tive a oportunidade de as provar, graças ao meu querido amigo JOAO VEIGA, o MAS (BAS??) do Veronique, o veleiro mais bonito do Universo, quiçá de Aveiro..... Receita dificil de executar, mas deliciosa: As batatinhas tem de ser pequeninas e redondinhas. Este aspecto é fundamental para o exito do prato, pois elas tem de 'assar' sem agua alguma. Descascam-se as batatinhas mantendo o mais possivel o seu caracter redondo. Cobre se o fundo do taxo com azeite, de muito boa qualidade. picam-se muitissimo bem 4 dentes de alho por batatinha e colocam-se no taxo. Colocam-se agora as batatinhas. Temperam-se com sal, oregãos, um pouco de pimentão e picante a gosto. Tapa se o taxo e dá-se-lhe um primeiro apertão forte com calor, até o azeite ferver. De seguida poe-se o lume 'lamparinico', extremanente fraco, abanando sempre o taxo para que as batatinhas, redondas, lembram-se, rodem sobre si próprias, assando por igual, sem qualquer gota de agua. Esta operação pode demorar uma boa meia hora ou mais. Paciencia, o resultado é expectacular. Ah, já me esquecia, é fundamental uma cervejinha. Abre-se, passa-se por cima do taxo aberta, uma vez para bombordo e duas para estibordo, com o cuidado extremo de não entornar qualquer gota. Bebe-se de seguida, aproveitando o cheirinho que, por essa altura, já deve sair da panela.

11 setembro 2005

BOLA DE CARNE DA PRIMA MANELA - O segredo dos Vitorinos

Esta receita, revela-se muito importante por ser fácil e rápida de preparar, aliando a isso um resultado fantástico para as jornadas de mar. Queria ler aqui o resultado que obtiveram os meus amigos da Confraria do Mar..... O que é preciso 3 chávenas de farinha 1 chávena de óleo 1 chávena de leite 6 ovos inteiros 2 colheres de chá de fermento ROYAL. Sal - pouco Bater tudo bem. untar tabuleiro com Margarina e polvilhar com farinha colocar depois 1/3 da massa a seguirjuntam~se as carnes que se quer com queijo , salsa, pode ser fiambre, pedaços de presunto, etc tudo muito bem oartido aos bocadinhos. acabar de juntar a massa, sempre intercalando. Forno quente durante cerca de 20 minutos O resultado é uma delicia

09 setembro 2005

O Convite

Este é o convite, invitation , em estranjeiro.....

Instituto Português de Navegação

O Instituo Português de Navegação, existe para que se aprofunde o conhecimento da navegação, quer seja maritima, aérea, terrestre ou até a espacial; Para isso tem-se desenvolvido uma serie de actividades, em conjunto com a SOCIEDADE DE GEOGRAFIA DE LISBOA, que tem colhido alguns frutos; A imagem que apresento hoje, é referentre a uma palestra do Eng. Pedro Rosa e sobordinada ao tema " Céu Europeu : Único" e " Céu Único : A Volatilidade das Instituições ", tendo como moderador o General Lemos Ferreira, Presidente do Inst. Port. de Navegação. Vamos iniciar uma campanha para sócios, de que darei noticias brevemente.

08 setembro 2005

Navio ARGUS, a operar na POLINÉSIA

Aqui está, um parente do Sta MAria Manuel e do Creoula, a operar ( ainda!!!) na área dos cruzeiros `a vela; Hoje chama-se Polynésia, e felizmente, conta, atrvés de sinalética, a sua historia de Navio da Terra Nova e dos Grandes Bancos; O Santa MAria Manuela, em Aveiro, poderá escapar ao desmantelar da sucata, através da Fundação com o seu nome, e que deverá ser acrinhada por todos os Portugueses; Pelo menos pelos que gostam do mar...

Bonita imagem do Lugre Santa Maria Manuela, possivelmente a deixar o cais em St. John's, na Terra Nova, porto de escala para a grande maioria dos nossos pescadores.

Quando estes navios se encontravam em porto, geralmente atracados de bralo dado aos 3 e 4, a população de St. John's deliciava-se com a vista, e não era raro alguns dos nossos homens ganhar alguns dólares envergando alguma vela, ou subindo pelas enxarcias...

CARAPAUS ALIMADOS - A verdade nua e crua

O Blue Moon I, inicia aqui a publicação das receitas praticadas a bordo , nas nossas pequenas (?) viagens e empreendimentos ; Iniciamos a publicação com o querido José Silva Pereira - armador do FINO III - a mostrar que também tem a carta de patrão de fogão e forno, e dela faz uso.... ò Zé, depois disto não vais estragar o quadro, pois não ??? Repare-se que a receita só é válida para pessoas normais; Requerem-se portanto as necessárias adaptações ustedes , claro..... Para 4 pessoas normais 800 grs. de carapaus médios ou pequenos ; 2 dl de azeite ; 1 dl de vinagre ; 2 dentes de alho ; oreganos; sal grosso q.b. Como fazer: Amanhar os carapaus em cru, tirando-lhes a serrilha, a espinha do umbigo, as tripas e a cabeça. Lavar bem em água. Em seguida, salgam-se, utilizando o sal grosso, colocando os carapaus em camadas alternadas com sal e perpendiculares entre as camadas. Deixar repousar cerca de 24 horas. Retirar o sal aos carapaus e lavar em água fria. Levar um tacho com água do mar ao lume. Deitar dentro os carapaus e deixe cozer. Depois de cozidos, metem-se em água fria. Limpar as peles, as escamas e algumas espinhas da barriga, ficando com uma carne dura e de bom aspecto. Colocar os carapaus na travessa onde vão ser servidos, regar com azeite, alho picado e o vinagre. Polvilhar com oreganos. Truque: Os carapaus a utilizar deverão ser do tamanho médio e estão cozidos quando o rabo, vulgo barbatana caudal, se parte ao pegar.

Borboleta

Bonita Imagem do Veronique e do seu emproado BAS Joao Veiga, a entrar a barra de Aveiro, que fica em Ilhavo, com o pano em borboleta; Note~se que referi emproado ´pelo facto de o dito estar à proa, como se vê na fotografia...

NOVIDADES (?)

Será que o BAS do VERONIQUE, à semelhança de alguns dos seus conterrâneos Aveirenses, se passou para os " barcos que arreiam os mastros " ??? De qualquer modo, este moliceiro ( saleiro? ) é algo raro, com aquele poste dos TLP ali ao alto....

06 setembro 2005

05 setembro 2005

Capitães da Areia

os donos do rio.....

Será que os merecemos??

O O porto de Lisboa, bem como todas as administrações e direcções portuárias, deviam incentivar, os armadores das embarcações históricas e ou com passado, a mantê-las em estado de navegar, por forma a preservar uma parte da nossa história colectiva de que tanto gostamos de nos vangloriar...... Na doca do Espanhol, o BLUE MOON conhece embarcações com 60 ou 70 anos, conservados com dificuldades pelos actuais armadores, e que , pelo interesse demostrado, tudo leva a crer desaparecerem aquando dos seus proprietários.....

Esplendor passado - Margem Sul

Poucas dúvidas restam que a margem sul do rio sempre foi mais enteado que filho..... Daí esta desolação, com nobreza, mas desolação

A BARRA

Como os Olhos nos enganam.....

O CUMPRIMENTO

Um último cumprimento, ao Almirante sereno, também Infante; Parece que enjoava, o coitado....

Torres em Lisboa

Este imagem, tirada do rio, no meridiano de ALGÉS , ( práí) mostra uma casinha, porque Torres em Lisboa não..... O que é bom é assim, à molhada..... Mas o BLUE MOON não tem nada com isso.....
NOITE DO GRANDE SORTEIO ou como um pacote de JUÁ transforma a vida de um homes...... jag / blue moon I

O Homem do Leme

O que faz um marinheiro, no mar, com a agulha de marear TAPADA com a respectiva protecção (????), a olhar para um céu Lindíssimo de AZUL, e todo enfarpelado, como quem vai para a maior das tormentas?? ou este é o verdadeiro homem do leme???? B jag / blue moon I

02 setembro 2005

Quebramar Cidade de Lagos

Olhó MARINHO a cumprimentar-me......

Regata QUEBRAMAR CHRYSLER - Talvez o melhor veleiro

Imaginem o espanto do BLUE MOON, quando aparece um semi rigido com 2 piquenas e um piqueno, vindos do CHIVAS ( graças a DEUS que ainda há gente com 2 dedos de testa), a perguntar: Quer um Whisky?? Na volta da pergunta indaguei: Uma garrafa???? Só um copo?? Pois não se dê ao trabalho...... Ficamos assim! Isto perante o Assombro do Imediato AFONSO, ao ver tamanho desproposito logo às 12oo horas.... dito isto, recolhi ao meu camarote ..... jag

Flamingo III

Bonito a navegar para o Norte, vindo de Lagos; E O manel a dar corda....

01 setembro 2005

Ao largo do Cabo Carvoeiro, O Veiguinha , com mar de vaga de 18 centimetros e vento a soprar com rajadas de 8 nozes, inocentemente perguntou ao Imediato, depois de virar 2 pratos de bacalhau abanado:
Queres mais um bocadinho??? Ao que o rapaz respondeu de" Imediato" :
Só se for um galão e uma sandes mista.....
A imagem ilustra parte do sucedido... A cara do Veiga não aparece porque não cabia na fotografia.....